Antevisão: Hokko Life

Animal Crossing é um verdadeiro fenómeno de vendas e popularidade, com esta última iteração na Nintendo Switch a revelar-se novamente altamente popular. É portanto um pouco estranho que tenha sido tão pouco copiado até agora. A fórmula nem sequer parece ser muito difícil de copiar dentro do mundo indie. Hokko Life parece ter essa intenção, mas este título ainda em acesso antecipado está ainda longe desse objetivo, podendo ou não lá chegar no futuro. Neste momento Hokko Life carece de conteúdo ou, pelo menos, de conteúdo divertido.

Desde o início somos lançados numa cidade adormecida, sem nenhuma ideia do que está a acontecerm. Depois encontrar-mos os poucos residentes que ainda permanecem em Hokko, é pedido ao jogador que devolva a cidade à sua antiga glória. No entanto, uma vez que a série inicial de tutoriais termina, ficamos novamente perdidos. Não há orientação nenhuma neste momento e quero realmente acreditar que este problema irá ser resolvido no futuro quando houver efectivamente mais conteúdo. Além de algumas quests não há muito mais.

A personalização, embora detalhada, não é também muito interessante neste momento. Criar os nossos próprios móveis é agradável mas não é algo que me veja a fazer durante horas. Projetar e organizar a cidade é mais agradável, já que por estranho que pareça podemos colocar o que quisermos onde quisermos. Infelizmente é um sistema que ainda tem alguns bugs e não há muito espaço para colocar objetos. Acredito que muitos jogadores irão adorar tudo isto e gastar horas e horas nestes sistemas, mas não é de todo um jogo para todos. Os jogadores de Animal Crossing podem encontrar aqui algo que gostem, mas esses talvez prefiram ficar a jogar o exclusivo da Nintendo.

Existem algumas decisões de design estranhas já que podemos por exemplo personalizar as casas de outros residentes. Isto faz com que possamos por exemplo limpar a casa dos nossos adversários como se fossemos verdadeiros ladrões. O jogo também tem bastante falta de vida neste momento. Os aldeões passeiam pela cidade, mas não há personalidade nos seus movimentos e diálogos. No geral o jogo tem falta de imersão, nunca parecendo uma cidade viva.

Visualmente Hokko Life é colorido, mas o design fica muito atrás de Animal Crossing. É suposto ser adorável, mas não é de todo apelativo, faltando a alma de Animal Crossing por exemplo. Um aspeto que faz toda a diferença entre Hokko Life e Animal Crossing é a ligação ao relógio real. Essa ligação faz com que sejamos encorajados a ligar o jogo várias vezes ao dia para curtas sessões. Aqui o jogo pode ser jogado de forma corrida e isso não o beneficia em nada.

Se gostam do género podem ter Hokko Life debaixo de olho, talvez no futuro se possa tornar um bom jogo. Neste momento ainda não o posso recomendar, faltando polir alguns aspectos e acima de tudo adicionar conteúdo.

Tiago Roque

Leave A Comment