ManpowerGroup faz estudo sobre quais as skills que ganhas a jogar

Os videojogos desenvolvem o pensamento crítico, a criatividade, a inteligência emocional, a colaboração ou mesmo uma elevada capacidade de resolução de problemas complexos, entre outras competências. Esta é uma das principais conclusões do estudo Game To Work, realizado pelo ManpowerGroup, e que lança agora uma campanha de recrutamento, através da sua marca Manpower, que pretende valorizar a indústria dos videojogos e a geração que tem dedicado cada vez mais atenção a este tipo de entretenimento.

Se a crescente digitalização já estava a gerar um aumento na procura de soft skills, a pandemia veio acentuar ainda mais essa necessidade, com as competências humanas a revelarem-se fundamentais para o desenvolvimento de uma força de trabalho ágil e resiliente nos momentos de mudança e disrupção. Face a esta situação, este novo estudo do ManpowerGroup vem incidir na necessidade de inovar na atração de talento e mostrar como os empregadores devem olhar além das fontes tradicionais de candidatos e focar a sua atenção nos entusiastas do gaming.

“Atualmente, para muitas empresas a escassez de talento é real e os empregadores enfrentam sérias dificuldades para encontrar as competências de que necessitam, tanto hard como soft. Este contexto é ainda agravado no caso destas últimas, já que a maioria dos empregadores portugueses (54%) afirma mesmo que o mais desafiante é ensinar as soft skills aos seus colaboradores.” explica Rui Teixeira, Chief Operations Officer do ManpowerGroup Portugal.

“Os gamers constituem uma pool de talento diferenciado, capaz de oferecer uma combinação única de aptidões digitais e de competências humanas que irão responder às necessidades de emprego de hoje e de amanhã. Com esta campanha, apostamos uma vez mais no potencial das skills transferíveis e inovamos na abordagem da atual escassez de talento. Acedemos ao talento nos canais onde este se encontra e valorizamos a sua experiência, apresentando-lhe um conjunto de oportunidades profissionais que pode desenvolver connosco”, conclui.

Através de um assessment online, os jogadores podem avaliar a sua experiência, evolução e tipo de jogos a que mais se dedicam e tomar conhecimento das soft skills que mais desenvolveram, assim como as áreas e funções que podem desempenhar com base nesses resultados. O teste, que pode ser respondido por qualquer gamer, foi desenvolvido com base numa análise de mais de 11 mil jogos de 13 géneros, que permitiu identificar as principais soft skills desenvolvidas em cada categoria e associar as competências dos jogos com as de trabalho.

Depois de respondido, o assessement sugere funções para os gamers, que podem corresponder a diversos setores, sempre dependendo do seu género de jogo. Um fã de StarCraft, por exemplo, pode ter o perfil esperado para desempenhar funções de controlo de qualidade, já alguém habituado a jogar Minecraft tem competências esperadas para um designer gráfico. Cargos em contabilidade e administração, mas também em setores como logística, cuidados de saúde e serviço a cliente são alguns exemplos das oportunidades que se podem abrir aos jogadores nacionais com esta campanha.

Tiago Roque

Leave A Comment