Análise: Game Builder Garage

O primeiro video que vi de Game Builder Garage despertou-me bastante interesse. A criação de videojogos sempre foi um interesse que tive, talvez nunca a nível profissional e os jogos que tentam oferecer esse nível de criatividade tendem a ser um pouco assustadores, com níveis muito grandes de conteúdo e opções. Com uma experiência do género a vir da parte da Nintendo a minha esperança é que este fosse aquilo que procurava, simples de aprender mas oferecendo as ferramentas todas necessárias e com uma complexidade proporcional aquilo que procuramos.

Criar jogos é realmente difícil, mas a Nintendo tem um dom para tornar tudo divertido e Game Builder Garage não foge dessa ideia. Game Builder Garage é essencialmente uma extensão do Nintendo Labo e muitos dos conteúdos irão parecer muito familiares a quem jogou. Game Builder Garage está mais próximo de um software do que de um jogo e praticamente tudo o que fazemos ou faz parte de um tutorial ou da liberdade criativa que vamos desenvolvendo.

Game Builder Garage é dividido nitidamente em duas partes, com o jogador a ser direcionado imediatamente para a primeira onde tem de concluir o primeiro dos sete cursos necessários antes de tentar a programação de freestyle que funciona como segundo modo. Estas lições também são necessárias para obter uma compreensão básica do que é possível à medida que nos é apresentada linguagem de programação muito visual e prática do Game Builder Garage. Tudo é muito “Nintendo”, tudo colorido e cheio de personalidade, mas também inuitivo.

O jogo é essencialmente trazido à vida através de blocos antropomorfizados conhecidos por Nodons, cada um com a sua própria personalidade. Fazer um jogo é uma simples questão de juntá-los para obter os resultados certos e as nossas criações acabam num emaranhado de Nodons e os fios que os conectam. Apesar de ser mais intuitivo e no geral mais acessível que muitos dos jogos do género que conheço, Game Builder Garage não peca por falta de profundidade, muito pelo contrário. As lições são essenciais para fazer qualquer progresso no jogo e cada uma varia em duração entre 40 minutos a 90 minutos. E isto é para conseguirmos começar a imaginar algo nosso depois. Não se trata apenas de progredir por progredir nas lições, sendo crucial estar efetivamente com atenção.

Felizmente cada uma das lições resultanta num jogo completo que podemos depois jogar. Existem pequenos questionários interativos após cada lição também para garantir o jogador esteve com atenção e não chega à lição seguinte sem o conhecimento básico. O jogo ensina realmente bem, mas também é bastante rigoroso. Não há qualquer desvio permitido da única rota desejada nas aulas e pouco espaço para encontrar rotas alternativas para qualquer resultado específico.

Por muito bom professor que o jogo seja existem momentos em que acabamos por recorrer a tentativa e erro porque percebemos mal o que o jogo nos estava a pedir e nessas situações o jogo pode ser um pouco frustrante. Felizmente os resultados depois são fantásticos. Começando pelos sete jogos que criamos durante o tutorial até aquilo que ficamos preparados para criar depois. O jogo é bastante rápido a trocar entre edição e jogo e podemos facilmente fazer pequenos ajustes. É esta ligação rápida e intuitiva entre esses dois momentos que torna Game Builder Garage talvez mais gratificante do que a concorrência.

Aquilo que acabamos por concluir é que Game Builder Garage não é nem o primeiro, nem talvez o melhor jogo do género. É um pouco mais rígido e menos abrangente que a concorrência, mas não me parece que estivesse a tentar ser. Este é mais abrangente do que Super Mario Maker 2 por exemplo, um jogo também da Nintendo e que no fundo oferece algo semelhante. Mas não é um jogo que permita nada de tão elaborado como Dreams por exemplo, mas é bastante intuitivo e recheado de personalidade. Há na mesma muito para explorar e vai ser interessante ver de que forma os jogadores vão utilizar os recursos presentes. A própria aparente limitação existente vai certamente revelar soluções super interessantes da parte dos jogadores.

Neste momento já existem muitos jogos criados no Game Builder Garage, maior parte tributos a jogos da Nintendo, mas fico a aguardar algo realmente interessante e original. Tendo a Nintendo olho para a oportunidade tenho a certeza que os melhores jogos aqui criados possam no futuro a vir a tornar-se jogos reais apoiados pela Nintendo e os seus criadores a terem um futuro na industria.

Tiago Roque

Leave A Comment