Análise: DC Super Hero Girls: Teen Power

Ao contrário do cinema da DC, as séries animadas são muito mais divertidas, trocando por completo o suposto realismo e seriedade que a DC quer que funcione com um filme sobre super-heróis, mas que não funciona. Enquanto que as séries animadas da Marvel mantêm mais ou menos o mesmo espírito daquilo que encontramos no MCU, as da DC têm tendência para serem completamente loucas. Muitos devem conhecer Teen Titans, mas DC Super Hero Girls: Teen Power não fica atrás em termos de loucura.

Esta introdução é importante porque DC Super Hero Girls: Teen Power é a adaptação direta da série. O jogo foi desenvolvido pela TOYBOX Inc., que anteriormente trabalhou em Deadly Premonition 2 e é publicado pela Nintendo. Surpreendentemente é realmente bom. Obviamente não podem considerar este bom como é um excelente jogo, mas tendo em conta o público alvo, este é um jogo realmente bom. Podemos olhar para DC Super Hero Girls: Teen Power e ver as suas falhas, mas não há nada que o jogo faça realmente mal.

Quem conhece a série irá ficar contente por ver que todo o elenco da série está presente, no entanto jogamos principalmente como Zatanna, Green Lantern e Bumblebee. A jogabilidade em si é bastante linear misturando conceitos de jogo de ação com uma espécie de simulação de rede social e essas interações. O combate é uma espécie de primo afastado da série Arkham, com muito menos ênfase na precisão e muito mais em simplesmente martelar botões. Podemos infligir combos e os ataques acumulam até podermos libertar um ataque especial bastante devastador.

A progressão ao longo da história é dividida em pequenos pedaços onde jogamos como uma personagem específica antes de passar para outra. O aspecto social do jogo consiste em passear pelas ruas de Metrópolis, ir às compras e postar fotos no Superstapost, a app social do jogo. A cidade em si está bem construída, mas não há muito para explorar. Há muito para fazer, mas tudo parece mais ou menos óbvio e marcado, com pouco incêntivo para nos perder-mos no mapa. O tamanho geral aceitável e as missões sociais nunca tendem a durar mais do que alguns minutos de cada vez e são surpreendentemente variadas. Completar as missões dá-nos dinheiro que podemos depois gastar em fatos para as nossas personagens.

Concluir tarefas e missões não só nos dá dinheiro, mas também pontos de habilidade que podem ser gasto em novas habilidades e estatísticas básicas. As habilidades adicionais somam uma nova camada ao combate bastante básico, o que permite manter tudo simples mas ir acrescentando elementos novos ao jogo. Estes pontos de habilidade também podem ser ganhos cumprindo objetivos especiais durante as missões.

Visualmente o jogo vai buscar inspiração ao cartoon, utilizando essencialmente o mesmo estilo de arte. Aquilo onde o jogo falha nesse aspeto é ao dar pouca atenção a todas as personagens secundárias, que acabam por ser personagens sem grande profundidade e do mais genérico possível. Uma outra queixa é a câmara do jogo que atrapalha demasiado o combate e provoca algumas frustrações. Continuando no tema da apresentação, o som é realmente bom, especialmente o trabalho de vozes que é realmente bom e ao nível da série.

DC Super Hero Girls: Teen Power podia ser facilmente um “cash-grab” sem qualquer valor enquanto jogo. Mas surpreendentemente é realmente bom e nota-se que os seus criadores conhecem o universo e realmente se preocuparam em criar um jogo bom e divertido. Obviamente não irá ser um clássico e tem um público alvo mais infantil, mas não deixa de ser um jogo realmente divertido e que irá agradar aos fãs da DC.

Tiago Roque

Leave A Comment