Antevisão: Black Skylands

Black Skylands é um promissor jogo de mundo aberto com vista top down e belos visuais em arte pixel num mundo skypunk. O mundo do jogo é bonito e perigoso, estando recheado por piratas e monstros que o jogador tem de enfrentar tanto a pé como em navios voadores. O jogador joga como Eva, alguém que passou grande parte da sua vida a bordo da nave-pai, que é basicamente um grande e velho navio voador. Aspya é um mundo diferente do nosso, sendo mais semelhante a Pandora de Avatar com as suas ilhas voadoras, sendo que cair no vazio é um dos maiores factores que temos de ter atenção.

Black Skylands encontra-se ainda em Acesso Antecipado, mas está num estado já bastante avançado. O jogo começa com um tutorial, que poderia ser melhor. Existem pequenos pormenores que poderiam ser melhor explicados, mas há muito tempo para melhorar este aspeto. Pouco tempo tem o jogador, já que depois do tutorial tem que lidar com uma série perigos, começando com as criaturas conhecidas como The Swarm, mas também um bando de piratas do céu.

Black Skylands é jogado numa perspectiva top-down, o que significa que maior parte do tempo iremos ver as nossas personagens de forma muito limitada, como um GTA 2 onde só vemos praticamente cabelo e ombros. O estilo pixel art é impressionante, mas quando combinado com a perspectiva de cima para baixo, pode tornar algumas seções do jogo bastante frustrantes de percorrer, mas nenhum deles problemas retira beleza visual ao jogo. Infelizmente o jogo precisa ainda de algum trabalho em garantir que não ficamos tantas vezes presos no cenário, algo que quando acontece durante um combate torna tudo um pouco frustrante.

O combate em si é quase todo ele feito com tiroteios, sendo importante ter os inimigos à distância. O combate está também dividido entre combate a pé ou no céu no nosso navio. A pé, o combate funciona de forma muito semelhante a um twin shooter, mas com algumas possibilidades de ataque corpo a corpo. O combate nos navios é um pouco mais complicado. As nossas armas são montadas na lateral da embarcação e temos de ajustar o ângulo delas conforme avançamos e disparar do lado correto. É um sistema divertido e aquilo que mais dá prazer de aprender a dominar, havendo espaço para melhorias.

A maior parte do jogo consiste em criar e gerir a colónia, onde precisamos de cultivar alimentos, reunir recursos, limpar o lixo, arranjar coisas que estiverem estragadas e libertar ilhas. enquanto viaja por Aspya. Esta mecânica começa por ser divertido, mas com o tempo vamos acabar por gastar demasiado tempo a reunir materiais e tudo se pode tornar um pouco repetitivo. Há muito que pode ainda ser melhorado aqui, mas há muita coisa que poderia não levar qualquer tipo de alteração e eu aceitaria sem problemas.

Tiago Roque

Leave A Comment