Antevisão: Poker Quest

Os jogos de Poker não costumam ser os jogos mais inovadores. Normalmente são bons ou maus, mas costumam ser apenas jogos de Poker. Poker Quest tem uma proposta bem diferente, misturando uma aventura e elementos RPG, sendo elementos poker reservado para pouco mais do que o combate. Em Poker Quest assumimos o papel do herói e exploramos um mapa recheado de praticamente tudo o que encontramos normalmente num RPG, como masmorras, monstros e lojas. Não temos propriamente uma personagem que controlamos num mapa aberto, mas sim um mapa em árvore com ramos que podemos escolher.

Inicialmente temos apenas um cavaleiro, mas pelo caminho vamos desbloqueando novas classes, também elas bastante standard num RPG. A curva de dificuldade é acentuada e no início morrer é mais do que normal, é expectável. Algo que não está muito presente é uma história. O conceito do jogo eu consigo entender e até está bem conseguido, mas não percebo o porquê de ir buscar todas estas influências de RPG e depois não querer aprofundar com um elemento que é tão importante dentro do género, a narrativa.

O combate como referi acima é onde o elemento Poker entra. Como num jogo de cartas normal, as cartas são utilizadas para infligir dano, tendo ataques, resistência e habilidades. Os ataques corresponder a combinações das cartas, correspondendo às combinações que nos habituámos no Poker, com duplas por exemplo a corresponder a ataques simples e depois cartas poderosas que precisam de black jacks por exemplo. Tudo isto pode parecer um pouco complicado, mas se há algo que o jogo faz bem é explicar tudo ao jogador, talvez até explique demais.

Poker Quest encontra-se neste momento em acesso antecipado na Steam e isso nota-se principalmente no equilíbrio do combate. Existem alguns problemas que apesar de virem essencialmente da natureza “Poker” do jogo e por consequência da sorte, são todos problemas que poderiam ser resolvidos interferindo um pouco na “sorte”. Não sei até que ponto isso já é ou não feito, mas caso seja precisa de ser melhorado dado que por vezes se passam bastantes jogos sem poder usar combinações de jeito. Além do barato existem ainda consumíveis que podemos utilizar para receber algumas vantagens como impedir o oponente de atacar.

Visualmente não posso dizer que seja um jogo impressionante. Comparado com a grande maioria dos jogos de cartas que já joguei, Poker Quest tem um design algo datado e pouco detalhado. Algumas cartas têm uma arte relativamente boa, mas outras apenas são aceitáveis por o jogo estar ainda em Early Access. No que toca ao resto da apresentação, temos um tema principal agradável e efeitos sonoros que cumprem, mas novamente, nada de memorável.

Poker Quest merece neste momento os parabéns pelo seu conceito. Existe aqui a base daquilo que pode ser um jogo interessante, mas ainda não está no ponto em que poderia recomendar. Precisa de trabalho, especialmente na arte e precisa de melhorar o factor sorte necessário, caso contrário é a diversão que os jogadores têm com o jogo que sofre.

Tiago Roque

Leave A Comment