Antevisão: Giants Uprising

Desenvolvido pela VARSAV Game Studios, Uprising é uma espécie de jogo Kaiju com gigantes em vez de enormes criaturas. É um jogo de fantasia medieval onde controlamos um gigante que depois de fugir dos humanos procura vingança contra a raça que o aprisionou. Traídos pelos humanos os gigantes viram a sua antiga e gloriosa raça a desvanecer e as suas cidades em ruínas e os poucos que sobreviveram são agora escravos para os humanos.

Giants Uprising encontra-se neste momento em acesso antecipado na Steam e isso notasse essencialmente na falta de conteúdo e nos vários problemas técnicos do jogo. A jogabilidade por exemplo tem alguns problemas de lentidão e o jogo como um todo está longe de ser a experiência polida que gostaríamos de jogar.

O jogo também não é um jogo fácil, mantendo o jogador atento ao estado da sua saúde, sendo relativamente fácil ser morto. Apesar de gigante, a nossa personagem não é de tal forma poderosa que possa lançar o caos pela terra sem se ter de preocupar com os ataques humanos. Felizmente o jogo faz um bom uso do seu sistema de checkpoints e nunca senti que perdi demasiado progresso quando inevitavelmente morria.

Visualmente é um jogo bem conseguido, tanto pela qualidade das texturas e valores de produção como pela direção artística do jogo, mas essencialmente pela quantidade de detalhe que entra em cada área do jogo e essa é talvez até a razão porque a performance do jogo é tão pobre neste momento. A física do jogo é um pouco exagerada neste momento e é sempre engraçado ver um ser humano a ser atingido por uma força de tal forma poderosa que o lança metros no ar mas todo o corpo a manter-se intacto.

Giants Uprising não faz nada de extremamente inovador neste momento, mas agarra numa formula e dá aos jogadores um pequeno sandbox. Neste momento ainda há muito para melhorar e acrescentar ao jogo para o poder recomendar. Nesta fase a questão é mais sobre se o jogo é ou não promissor e Giants Uprising é bastante promissor, no entanto não é a experiência mais agradável neste momento.

Tiago Roque

Leave A Comment