Análise: Germinator

 

Germinator foi lançado para PS Vita e PS3 e infelizmente só tivemos acesso à versão PS3. Infelizmente não porque eu tenha qualquer problema com a versão PS3, até porque isso não me impediu minimamente de ter chegado ao fim do jogo, simplesmente porque Germinator é sem duvida um jogo para uma consola portátil.

É o tipo ideal de jogo para jogar no comboio e que tanto a Vita precisa e ainda bem que o recebeu. Tal como já referi, Germinator tem muito a ver com Puzzle Bobble, o principio é o mesmo, simplesmente com uma perspectiva invertida (joga-se de cima para baixo) e os germes de várias cores têm comportamentos diferentes.

 

Talvez seja necessária uma maior estratégia para ultrapassar os níveis, uma vez que simplesmente juntar peças da mesma cor normalmente não ter bom resultado. No inicio do jogo essa estratégia funciona mas à medida que avançam no jogo vão realmente ter que perceber o efeito diferente de utilizarem o “ataque especial” em cada uma das peças.

À medida que vão combinando germes da mesma cor sucessivamente vão ganhando mana, ou algo semelhante, que podem depois usar para um ataque especial. Cada cor tem um efeito diferente, uns eliminam tudo no seu caminho, outros eliminam tudo o que têm à volta e outros ignoram colisões por exemplo.

Para completarem um nível têm apenas que se preocupar com os germes pretos e rapidamente começam a perceber algumas técnicas para obterem maior sucesso. Tentar combinar rapidamente peças da mesma cor para utilizar mais vezes os ataques especiais é uma das principais, mas há para mim uma ainda melhor. O germe amarelo é simplesmente muito mais útil que os restantes e colocar um destes junto ao fundo e depois utilizar o ataque especial acaba rapidamente o nível e consegue combos enormes.  É simplesmente a técnica mais fácil e foi a que utilizei em maior parte do jogo.

Germinator-Creat-Studios

Há vários cenários diferentes, cada um representando uma divisão da casa, mas os fundos não são propriamente muito criativos ou variados. As mudanças de divisão não alteraram praticamente o jogo durante a minha experiência de jogo. Cada cenário tem mais de uma dezena de níveis, mas apenas um ou dois são realmente desafiantes.

Há ainda um modo multijogador, mas infelizmente é apenas local, o que tendo em conta o paradigma actual é praticamente a mesma coisa que não existir. Sim é divertido se tiverem com quem jogar. É exactamente o mesmo jogo, em que irá ganhar quem conseguir limpar o nível primeiro. É divertido e viciante e é realmente uma pena que não exista este modo online. Não me parece que seja assim tão difícil depois de ter todo o jogo feito.

 

Tiago Roque

Leave A Comment