Análise Proteus

Uma dos melhores partes de analisar jogos é poder ser surpreendido por jogos que não conhecemos realmente nada sobre. Por varias razoes, normalmente monetárias nem todos os jogadores se podem dar ao luxo de experimentar coisas novas, no entanto nos podemos e estamos aqui para basicamente dizer-vos em que é que devem gastar dinheiro.

Depois de ver alguns vídeos sobre Proteus não consegui realmente ter qualquer ideia sobre o que era o jogo e quando o joguei fiquei ainda com algumas duvidas. Proteus não se enquadra realmente em nenhuma das categorias habituais dos jogos que conhecemos. Em Proteus têm que explorar uma ilha pixelizada colorida, não existem inimigos e não podem morrer de nenhuma maneira. Através de uma perspectiva na primeira pessoa, mostra-nos um mundo quase hipnótico que apesar do design 8bits tem muito da arte impressionista.

Não existe nada para recolher, obstáculos para saltar ou qualquer alvo a abater. Alem disso não há qualquer objectivo alem de explorar a ilha o que activa a brilhante banda sonora, que é para todos os efeitos o melhor aspecto do jogo. Proteus é provavelmente o jogo mais relaxante que já joguei, não há qualquer perigo ou stress.

Cada vez que jogam a ilha altera-se um pouco, sem ser realmente gerada aleatoriamente. Durante o dia não há realmente muito para fazer e a nossa exploração não influencia nada, funciona apenas para irem conhecendo o layout da ilha, no entanto à noite vão descobrir como levar a ilha para a sua próxima fase, o que altera a meteorologia  as cores e toda a vida da ilha. O som é realmente o melhor que Proteus tem a oferecer, cada elemento que vêem no ecrã tem um som característico e maravilhoso, o que cria uma atmosfera diferente de tudo o que já experimentei.

Vão ver-se a seguir os animais que habitam a ilha com uma curiosidade infantil que é difícil de explicar. Proteus mais do que um jogo e uma experiência interactiva que cada um dos jogadores vai sentir a sua maneira. Os primeiros minutos são mágicos  mas a formula infelizmente não aguenta muito tempo. A falta de objectivos faz com que ao fim de cerca de 40 minutos no jogo já estão cansados e não sabem realmente o que fazer e o fascínio que tinham pelo mundo de Proteus desvanece. Felizmente o jogo demora menos de uma hora a completar, pelo que não vão ter realmente ter tempo para ficar fartos.

Como tudo e relativamente diferente em cada playthrough ha alguma razão para jogar novamente mas no geral a experiência e semelhante. Existem alguns segredos bem escondidos mas pouco mais do que isso, o que acaba por ser o maior problema de Proteus. Se gostam de experiências diferentes, Proteus não é propriamente caro e mesmo que não gostem do jogo não investiram muito. Para grande parte dos jogadores no entanto, esta será apenas uma hora bastante aborrecida.

7/10

Tiago Roque

Leave A Comment