Análise Crash City Mayhem

Não há forma de explicar Crash City Mayhem, é um daqueles jogos que não faz realmente muito sentido, mas também é um daqueles jogos em que isso não é um defeito sequer. Crash City Mayhem pertence à saga Runabout mesmo que o nome não o indique e chegou a chamar-se Runabout 3D. A inspiração do jogo são sem duvida os filmes de acção dos anos 80 e vamos encontrar muito do seu humor e acção típica. Se explicar o conceito de forma simples teria que dizer algo como, Crash City Mayhem é um jogo de corridas que recompensa o jogador pela destruição causada, no entanto esta descrição iria talvez invocar na vossa memória imagens de Burnout e isso está longe da realidade.

Antes de poderem entrar no modo principal do jogo vão ter que passar por um pequeno tutorial que nos ensina o básico e quando digo básico digo realmente básico, pois ensina-nos desde a como acelerar até como virar o carro, o que me parece um pouco desnecessário. Depois de passaram o tedioso tutorial vão começar o modo principal, o modo história. Este modo apesar de ser um modo historia tem um ar bastante arcada. Cada missão tem várias dificuldades à escolha e podem também explorar livremente o cenário de cada missão.

Existem várias missões e felizmente todas elas são bastante variadas entre elas, pelo menos em teoria uma vez que no fundo todas se baseiam em chegar ao ponto X em Y tempo. O objectivo varia mas o conceito é relativamente sempre este. Algumas missões pedem-nos para perseguir um veiculo e tentar chocar contra ele,  Em termos de desafio dependendo da dificuldade que escolham, existe um bom desafio em dificuldades elevadas. Irão começar com poucos veículos à escolha mas com o desenrolar das missões irão ter acesso a muitos mais e ainda a objectos que podem adicionar aos veículos como oxido nitroso por exemplo.

A condução é bastante competente e realmente consegue-se sentir a diferença entre os vários veículos. A noção de velocidade infelizmente não é muito boa, mas graças ao efeito 3D melhora um pouco e o mesmo também ajuda bastante a calcular distancias e ajuda bastante no controlo do veiculo em geral. Como já referi, este jogo não é para ser levado a sério e no geral não faz grande sentido, mas ainda bem. Em qualquer outro jogo eu talvez levasse a mal uma scooter poder levar à frente um camião de carga, em Crash City Mayhem nem por isso. Faz parte do seu charme.

Em todos os cenário temos a ajuda de uma seta que nos guia na direcção certa. No entanto existem atalhos que vão ter que descobrir por vocês próprios que são imprescindíveis para completar as missões nos níveis de dificuldade mais elevados.  Infelizmente o modo história apenas tem seis missões e a única forma de aumentar algum tempo de vida ao jogo é jogar as mesma missões nesses níveis de dificuldade mais elevados. Tendo em conta o preço do jogo é de lamentar, pois por esse valor conseguem comprar algum jogo usado bem melhor.

CrashCityMayhem1

Graficamente apenas os veículos são realmente bons pois todo o restante cenário é pobre, pouco melhor que um jogo da PlayStation original.Estamos a falar de um jogo para 3DS e já sabemos bastante bem do que ela é capaz e é bem capaz de melhor que isto. Irão reconhecer facilmente alguns monumentos que estão espalhados pelos cenários mas não esperem que estejam altamente detalhados. Como praticamente tudo o que aparece no ecrã é destrutível talvez se perdoe um pouco o grafismo pobre. Outro aspecto que me surpreendeu pela negativa foram as vozes e som em geral. O primeiro impacto fez-me lembrar algumas maquinas arcada que joguei quando era mais novo e não evolui muito ao longo do jogo. Não existem vozes e a musica é bastante genérica o que adiciona mais uma camada de mediocridade a este jogo.

Apesar das criticas duras que fiz a este jogo ele é divertido. É demasiado curto para o preço que tem, o grafismo e som são pobres mas é divertido. E é isso que um jogo deve ser, no final do dia há jogos em que bons gráficos são realmente necessários para nos dar algum realismo adicionar ao contar uma narrativa, mas para um jogo como Crash City Mayhem os gráficos têm que ser bons o suficiente para que a jogabilidade funcione e isso está garantido.

7.5/10

Tiago Roque

Leave A Comment