Análise: Clustertruck

Se alguma vez jogaram um mapa de surf no CS ou outro jogo em que o objectivo seja navegar por um cenário sem perder o fluxo de movimentos então sabem mais ou menos o que esperar de Clustertruck. O objectivo é simples, chegar ao fim do nível sem tocar no chão, recorrendo a plataformas que neste caso são camiões sem qualquer respeito pelas regras de transito ou da física sequer.

Sem mecânicas de parkour à mistura, aqui o que interessa é precisão e velocidade. A jogabilidade é soberba e o jogo é altamente justo apesar de difícil. Nunca senti que perdi porque algo me impediu de ganhar mas sim porque não joguei suficientemente bem. A sensação de velocidade é impressionante e quando conseguimos fazer movimentos perfeitos em cadeia ficamos impressionados com a nossa própria habilidade. Por falar em habilidade, existem ainda habilidades especiais que o jogador vai adquirindo. Estas são variadas, incluindo um boost de velocidade ou um jetpack, e ajudam a salvar algumas manobras mal calculadas ou simplesment tornar alguns níveis mais fáceis.


Mas se é verdade que Clustertruck é divertido de jogar, também é verdade que pouco mais oferece do que uma boa quantidade de níveis semelhantes que vão mudando de dificuldade e cenário. Os criadores podiam ter arriscado um pouco mais, criando outros objectivos por exemplo, ou corridas contra uma IA. Mas isto não quer dizer que os níveis não sejam variados. Os cenários duram apenas 10 níveis e apesar de o objectivo e os obstáculos serem semelhantes, o design dos níveis é variado assim como as armadilhas, criando uma experiência que apesar de ter o mesmo contorno é variada.

Visualmente falamos de um jogo colorido sem muito detalhe nos cenários o que facilita a vida ao jogador que não precisa de distracções enquanto navega freneticamente por camiões em movimento. A banda sonora combina bem com tudo o resto mas não é propriamente memorável.

A diversão que se pode ter com Clustertruck depende muito dos gostos de cada jogador. É principalmente um jogo de plataformas, com bastante adrenalina como é óbvio, mas não deixa de ser um jogo de plataformas com um bom sistema de física que torna os níveis um pouco aleatórios apesar de estes obedecerem claramente a um guião. O maior atractivo do jogo é a sua jogabilidade e conseguir dominar cada nível. Se não estiverem com paciência para se tornarem no mínimo razoáveis, Clustertruck pode rapidamente tornar-se mais frustrante do que divertido.

 

Tiago Roque

Leave A Comment