Análise: Razer Viper Mini

O Razer Viper é um dos ratos com mais fãs do mundo gaming, graças a uma série de pequenas decisões que o tornaram perfeito para praticamente todo o género de jogos. As versões e revisões que foram saindo apenas o tornaram melhor. É com grande satisfação que vemos chegar o Viper ao mercado dos ratos mais pequenos, um mercado não menos importante e onde irá encontrar muitos jogares ansiosos por um Viper mais pequeno.

Esta versão mini do Razer Viper não é apenas um Razer Viper encolhido, sendo que a Razer fez alguns sacrificios para tornar o rato mais pequeno. Alguns destes sacrifícios podem até ter tornado o rato melhor, mas no geral esta versão Mini não é um upgrade ao rato. Para começar apenas existem botões do lado esquerdo do rato, o que praticamente elimina o fator ambidextro. As laterais do rato deixaram de ser em borracha e o botão de DPI está no topo do rato por baixo da roda de scroll. Na parte inferior podemos também contar com uns “pés” de um material de qualidade um pouco inferior.

Visualmente o Razer Viper Mini é agradável, num estilo sólido e que ganha vida num ambiente escuro quando as luzes RGB lhe criam uma espécie de aura. A carcaça em si não é a mais bonita que a Razer lançou nos últimos tempos, tudo está onde devia estar e o rato é altamente funcional. Por falar em funcional podemos falar da ergonomia. Nem todos os ratos pequenos são agradáveis de utilizar. Mesmo quem tem mãos pequenas como eu pode sentir que por vezes ficamos com demasiada mão fora do rato, o que não é de todo agradável. O Razer Viper Mini é talvez um pouco mais “alto” que outros ratos pequenos que já utilizei, o que resolve praticamente este problema, no entando deixa o rato a parecer um pouco um ovo ao segurar, mas não deixa de ser confortável.

Por vezes os fabricantes optam por carcaças com buracos de forma a baixar ainda mais o peso dos ratos, inclusivamente a própria Razer já o fez. Muitos utilizadores não parecem ter problemas com isso, no entanto este Razer Viper Mini tem uma carcaça sem buracos, algo que para mim foi escolha acertada. Não tenho nada contra os buracos, mas a textura lisa é para mim muito mais agradável. O plástico em si também é agradável ao toque, nunca deixando a sensação de ser um produto barato, apesar de este ser um rato económico quando comparamos o seu preço com o resto do catálogo da Razer. É uma mistura de plástico normal com um toque de borracha que se vê em praticamente todos os ratos da Razer e que os torna realmente agradáveis ao toque.

Em termos de usabilidade o Razer Viper Mini tem apenas botões do lado esquerdo como já referi. Sendo este um rato “mini” dificilmente seria possível colocar botões também do lado direito, ou melhor, seria possível mas iria trazer muitas complicações. Se por vezes clicamos sem intensão dos botões do lado direito num rato normal, imaginem num rato de dimensões reduzidas, onde o espaço para segurar o rato sem clicar nos botões é bastante mais reduzido. Isto obviamente que não irá agradar aos jogadores esquerdinos, mas é uma decisão compreensivel.

A construção do Razer Viper Mini é sólida, mas os pés não são do material que mais gostaria. A base do rato tem uns pequenos pés em PTFE, um plástico que apesar de fornecer um bom deslize na maioria das superfícies, é um material que risca facilmente e pode criar algum atrito ao deslizar. Outra novidade é o sensor óptico nos botões que se tem tornado norma nos ratos da Razer. Apesar de estes novos botões serem mais resistentes e mais rápidos, o clique não é ainda tão satisfatório como num botão mecânico. Em comparação com outros ratos recentes da Razer o clique do Viper Mini é de longe superior, mas ainda não acho que se tenha chegado ao ponto de um bom clique mecânico. A roda de scroll tem uma camada de borracha que lhe dá uma boa aderência, mas a resistência ao scroll é um pouco solta e com pouca definição de passos, mas com um clique bastante agradável e fácil.

Em termos de sensores, os sensores utilizados no Razer Viper Mini não são os topo de gama da Razer. Este não é um rato barato, mas também não tenta ser um topo de gama. Quando compete contra ratos na mesma gama de preço ou um pouco mais baratos, o sensor utilizado consegue resultados bem melhores e a realidade é que 99% dos jogadores não irão notar a diferença entre este sensor e um dos outros um pouco melhores que a Razer dispõe no seu catálogo. No papel o sensor é realmente inferior e isso pode afastar alguns jogadores de um produto realmente bom, mas em termos de experiência real não existe nada a assinalar. Os sensores utilizados atualmente em qualquer rato acima de 30€ são realmente bons e sem falhas, pelo que apenas se ganham alguns DPIs e velocidade e em ambos o que está presente aqui é mais do que suficiente.

O Razer Viper Mini é um excelente produto que corta custos em algumas áreas mas nunca sacrificando a qualidade geral. O formato mais pequeno irá agradar aos fãs de ratos pequenos e aos fãs do Viper original. A

Tiago Roque

Leave A Comment