Análise: The Innsmouth Case

Se são fãs de terror H.P. Lovecraft está certamente na vossa lista de autores favoritos. É importante separar no entanto o autor, da obra. Se por um lado apenas temos a obra que temos por H.P. Lovecraft ser conhecido por ter visões um pouco racistas do mundo, a obra em si não perde importância. Os criadores de The Innsmouth Case percebem isto perfeitamente e admitem ser fãs da obra do autor mas não partilham as suas visões racistas.

O jogo passa-se como seria de prever pelo nome em Innsmouth, uma estranha cidade do imaginário Lovecraft onde toda a gente é um pouco estranha. O jogo começa com a nossa personagem a pensar na sua vida e como as coisas lhe andam a correr enquanto detetive privado, quando entra uma cliente que lhe pede ajuda para encontrar a filha que desapareceu. A mãe conta um pouco da história e é quando ouvimos falar de Innsmouth, mas já aqui começam a parecer estranhas. Assim que aceitamos o caso começamos o caminho para tentar encontrar o autocarro que nos leva lá e já na viagem os habitantes parecem estranhos, mas é quando chegamos que a sanidade mental do nosso detetive começa a falhar.

The Innsmouth Case é basicamente um livro interactivo, um pouco como Monster Loves You! que por aqui já passou há algum tempo. A nossa interação com o jogo é limitada a algumas escolhas de diálogo e como prosseguir em algumas situações. Em termos de apresentação também podem contar com muito pouco sobre o que discutir. A zona central do ecrã está sempre reservada para um livro onde vai aparecendo maioritariamente texto. Por vezes existem algumas imagens e até pequenas animações, mas no geral é um jogo muito baseado em texto, sendo as imagens, especialmente animadas, uma rara excepção à norma. O jogo faz ainda um jogo interessante de misturar a ficção com a realidade dentro da ficção. Pode parecer confuso mas basicamente é o seguinte. O jogo apresenta-se como um livro e o acontece lá dentro seria de esperar que fosse a ficção, mas o jogo transborda para fora do livro, cruzando dois mundos da ficção do jogo.

Ao contrário da obra de H.P. Lovecraft, The Innsmouth Case mistura comédia e terror na sua história. Quem está dentro do mundo do autor e da comunidade de fãs, sabe que isto é normal, com muitos livros de fãs a serem uma mistura do mito de  Cthulhu com comédia ou erotismo. A história em si é agradável, contendo muito conteúdo que apenas aparece numa playthough diferente, com o jogo a ter muitos caminhos possíveis.

Um jogo deste género acaba por ser tão bom como a sua escrita for e neste caso se ignorar-mos os erros, que infelizmente ainda são alguns, a história é boa e promove a repetição com os seus caminhos alternativos. Isto quer dizer no entanto que se não gostarem de repetir partes do jogo irão achar muito difícil jogar The Innsmouth Case várias vezes, uma vez que apesar de existirem vários caminhos diferentes irão sempre existir pontos de encontro.

Se são fãs de H.P. Lovecraft e gostam deste tipo de aventuras em formato de texto, The Innsmouth Case é uma excelente proposta que sobre essencialmente dos problemas do género, mas é uma excelente proposta na mesma. Se são jogadores de jogos de ação e preferem géneros mais comerciais então não existe propriamente nada aqui que vos irá agradar.

Tiago Roque

Leave A Comment