Antevisão: Cardaclysm

Cardaclysm é um jogo de cartas colecionáveis para um jogador e que se encontra neste momento em Early Access na Steam. Pelas primeiras impressões não posso dizer que o seu estado atual seja realmente recomendável para todos os jogadores. Existem muitas falhas de som, o jogo não tem nada que se assemelhe a um tutorial e alguns elementos visuais precisam de ser trabalhados. Apesar de apresentar no meu entender falhas nestes aspectos Cardaclysm é um jogo com uma profundidade invejável. A quantidade de conteúdo presente é considerável e os sistemas já implementados fazem destes um dos jogos de cartas mais gratificantes que podem jogar em singleplayer.

Desenvolvido pela Elder Games, Cardaclysm é um jogo de cartas colecionáveis onde percorremos com um avatar pequenas masmorras geradas aleatoriamente e onde habitam inimigos e outros perigos. Um dos aspetos mais interessantes do desenvolvimento de Cardaclysm é o facto de a comunidade estar ativamente a participar no desenvolvimento do jogo, ou melhor, na direção que o desenvolvimento está a seguir. Isto nota-se particularmente na inteligência com que o combate se apresenta.

Na grande maioria de jogos deste género as cartas custam algo, normalmente pontos de mana que são geralmente restabelecidos em cada turno. Em Magic The Gathering colocamos terrenos que geram depois pontos de mana que podemos utilizar nesse turno e no inicio de cada turno voltamos a poder “virar” terrenos por exemplo. Em Hearthstone temos pontos de mana que vão aumentando e podemos utilizar todos os turnos, sendo que no início voltamos a ter todos os pontos disponíveis. Cardaclysm funciona de uma forma bastante diferente já que os pontos que temos à nossa disposição são totais, ou seja se tivermos 20 pontos por exemplo apenas temos esses 20 pontos até derrotar-mos o adversário ou sermos derrotados. Isto obriga-nos a ser muito mais cuidadosos na nossa abordagem ao jogo. Este não é um jogo competitivo mas estas regras fazem-no muito desafiante, especialmente porque basta um ataque no nosso avatar para perder o jogo.

Perder o jogo tem também um custo acrescido já que perdemos todas as cartas que ganhámos nesse nível. Cardaclysm é composto por pequenos níveis aleatórios onde temos de derrotar adversário, apanhar cartas para abrir portas e fugir do nível por um portal. Cada vez que derrotamos um inimigo ganhamos uma nova carta, no entanto se morrermos temos de repetir o nível e perdemos todas as cartas que ganhámos, ou melhor, estas vão para o cemitério e podemos recuperá-las. Além de inimigos e chaves temos também pequenos buffs que nos dão mana extra ou vida extra para a primeira criatura que chamar-mos.

Cardaclysm parece ainda longe do lançamento final, mas conta já com mais de 200 cartas que podemos juntar para criar versões mais fortes. Nem sempre é recomendável fazer isto já que podemos ficar com criaturas demasiado fortes e caras que nos esgotam rapidamente o poço de mana. Existem mais de 40 artefactos no jogo para o nosso herói equipar qeu trazem também bastante vantagens, mas mais do que tudo Cardaclysm é um jogo onde o “deck building” é complexo e essencial. Cardaclysm não perdoa e facilmente criamos um deck que não nos dá garantias de uma boa primeira mão.

Se são fãs do género e não se importam com pequenas falhas, Cardaclysm é um jogo muito promissor, especialmente se gostam de jogos singleplayer. É um jogo que traz realmente elementos novos ao género e é uma experiência difícil mas bastante gratificante.

Tiago Roque

Leave A Comment