Análise: Alpaca Ball: Allstars

Alpaca Ball: Allstars é um party game que é metade jogo de futebol inspirado em Rocket League e metade jogo de física quase impossível de dominar consistentemente graças a uma jogabilidade nada responsiva. Não há muito espaço para mudar os jogos de futebol, prova disso é o próprio FIFA que mantém a sua jogabilidade intacta à três anos e com muito poucas mudanças há bem mais do que isso. Mas se olharmos para jogos de “futebol” como Rocket League então conseguimos ver que há ainda muito espaço para criar algo diferente e que mesmo assim é futebol. Alpaca Ball: Allstars procura algo semelhante e que embora funcione como party game, acaba por não ter uma jogabilidade forte o suficiente para ser mais do que isso.

Aquilo que salta logo à vista aqui é a escolha de cores, os visuais coloridose o elemento de alpacas. Tal como o nome indica, neste jogo apenas controlamos alpacas. Estes adoráveis animais aparentemente são ótimos a jogar à bola, ou pelo menos deveriam ser, já que com os controlos do jogo não posso aceitar essa ideia. O modo de campanha faz com que se comece com um tutorial, mas a melhor maneira de jogar é jogar uma partida normal e aprender os truques do jogo. A realidade é que este é um jogo totalmente baseado na física e um remate está mais perto de acertar na bola com um taco de baseball do que outra coisa. Mas quem se aventurar na campanha irá encontrar uma experiência pouco inspirada em que saltamos de desafio em desafio até chegar ao fim, com alguns diálogos que não levam a lado nenhum pelo meio. A ideia é imitar a progressão de Overcooked, mas nunca chegando perto sequer dessa qualidade.

Para avançar para a próxima partida temos que vencer. As partidas são normalmente um jogo de três minutos em que precisamos de fazer mais golos do que o oponente. Esse jogos podem ser de 1vs1, 2vs2 ou 3vs3, mas todos eles num campo das mesmas pequenas dimensões. A jogabilidade como já referi baseia-se na física e portanto temos que rodopiar o pescoço da nossa alpaca para tentar chutar a bola. Enquanto que noutros jogos o sucesso depende quase sempre da minha habilidade, aqui parece ter muito mais sorte envolvida. Raras foram as partidas em que eu percebia porque ganhava ou perdia. Se algumas partidas corriam bem demais com praticamente tudo o que fazia a dar em golo, noutras era completamente humilhado, com o adversário a marcar com uma facilidade gigante. Quando isso acontecia apenas tinha que repetir uma ou duas vezes até o oposto acontecer, daí achar que o jogo não tem profundidade para aprender a jogar e dominar os adversários.

A jogabilidade baseia-se inteiramente em acertar e errar e não encontrei forma de jogar Alpaca Ball: Allstars de forma lógica. Além de tentar ser mais rapido que a IA no pontapé de saída e fazer uma tabela, não há mais nenhuma lógica possível no jogo. Os jogadores também podem saltar em Alpaca Ball: Allstars, mas o movimento é muito lento e não é algo que eu faria a menos que a bola estivesse no ar. Além disso existem powerups que aparecem com regularidade e de forma automática e que dão enormes vantagens. Jogar de forma demasiado agressiva apenas vai imobilizar a nossa alpaca quando esta manda uma cabeçada contra as paredes laterais.

Alpaca Ball: Allstars é um colorido party game que pode ser divertido, mas dado que existem jogos do género bem mais interessantes, não aconselho investirem o vosso dinheiro num jogo com uma jogabilidade tão fraca.

Tiago Roque

Leave A Comment