Análise: Shelter 3

O primeiro e segundo Shelter foram jogos substâncialmente diferentes e Shelter 3 oferece novamente uma experiência relativamente diferente à dos restantes jogos da série principal dos jogos Shelter. Desenvolvido pela Might and Delight , Shelter 3 é um jogo de sobrevivência com elementos de jogo de puzzle, sendo um jogo muito mais pacífico do que o seu antecessor, com menos elementos de sobrevivência com que temos de nos preocupar.

Desta vez em vez de assumirmos o papel de uma espécie apenas e criar os seus filhos, em Shelter 3 seguimos a luta de um grupo de elefantes que foram separados do resto do grupo. Os jogadores controlam uma jovem mãe elefante que se irá tornar a próxima matriarca enquanto esta aprende a conduzir a sua família. Os jogadores devem encontrar comida e água, evitar os nossos predadores e escolher as melhores rotas. A jogabilidade está dividida em diferentes áreas. Começamos por escolher entre duas rotas diferentes e resolver um puzzle da área escolhida para chegar ao próximo destino. Esses puzzles desafiadores incluem vários ambientes, desde florestas, águas perigosas divididas por ilhas que devem ser cruzadas e zonas onde temos recursos limitados.

Depois de completarmos uma área escolhemos entre novas opções e temos um novo puzzle. Ao longo de cada mapa , o nosso grupo precisa da nossa ajuda para se manter junto. Temos principalmente que ter atenção ao medidor que podemos encher a comer frutas ou beber água. Além disso também temos de amamentar as nossas crias para que estas cresçam fortes. Apesar das semelhanças com os jogos anteriores, especialmente no que diz respeito à identidade visual e banda sonora, este terceiro capítulo é mais linear, com menos importância na exploração e os elementos de sobrevivência foram simplificados.

Um elemento que não estou certo de que resulte é a escolha de elefantes como foco deste terceiro jogo. Os elefantes são animais lentos e um pouco aborrecidos de controlar. Tudo parece mais lento do que nos jogos anteriores, mas ajudam a entender o afastamento das ideias de exploração dos jogos anteiores. Pessoalmente percebo a ideia, mas a realidade é que qualquer felino teria mais possibilidades em termos de jogabilidade, pelo menos em formas de a tornar mais dinâmica. O mundo do jogo é também mais vazio. Nos jogos anteriores éramos caçadores e isso incêntivava a exploração, algo que aqui não acontece.

Shelter 3 tem mapas bonitos e diferentes animais a habitar cada um, mas não podemos interagir com eles. Mesmo interagir com elementos do nosso grupo é bastante limitado. Shelter 3 é um bom jogo para fãs de puzzles e que procurem uma experiência relaxante. No entanto, aqueles que gostaram dos jogos anteriores e estavam à espera de algo semelhante e que continuasse a aumentar a escala de Shelter 2, este jogo pode ser uma decepção.

Tiago Roque

Leave A Comment