Análise: Lacuna – A Sci-Fi Noir Adventure

Lacuna – A Sci-Fi Noir Adventure é uma aventura point-and-click da DigiTales Interactive que apesar de ser efetivamente uma aventura point-and-click, joga-se de forma bastante diferente. Em Lacuna, jogamos como Neil, um agente do Departamento Central de Investigação Gharian (CDI). O jogo decorre num universo alternativo algures na passagem do século e com um ambiente noir bastante interessante, onde a humanidade colonizou alguns planetas e luas no seu sistema solar. Infelizmente a raça humana não mudou nesta versão alternativa da história e continua a ser gananciosa e os problemas da sociedade parecem ser exatamente os mesmos.

À superfície, a história de Lacuna parece falar de uma luta política contínua pela independência de Drovia, uma colónia Ghariana, mas como agente do CDI descubrimos algo bem mais profundo emaranhada numa série de teorias da conspiração. Lacuna – A Sci-Fi Noir Adventure tem muito trabalho de detetive à mistura e é nesse trabalho que o jogo se torna tão diferente do normal. Em vez de depender da resolução de puzzles como num point-and-click normal, aqui os puzzles estão diretamente ligada à narrativa do jogo.

O jogador irá investigar várias situações e irá tentar aprender mais sobre certos indivíduos e casos. Ao final dessas investigações temos de enviar um relatório sobre as nossas descobertas, onde temos que escolher uma série de opções de acordo com o que aprendemos, no entanto, embora o jogo forneça pistas suficientes para sabermos o que realmente aconteceu temos que ser nós a juntar as peças e chegar à conclusão. Estes relatórios não são as únicas escolhas que fazemos ao jogar, também encontramos personagens a passar pelos seus problemas e que podem ser capazes e dispostas a ajudar na investigação, dependendo do que decidimos fazer por eles.

Este é um daqueles jogos em que a história e a escrita são o verdadeiro foco de tudo e Lacuna realmente brilha nesse aspeto. As escolhas que fazemos, algumas com a pressão acrescida de um tempo limitado para tomar decisões e essas decisões realmente afetam a história e como ela se desenrola. Isto não quer dizer que tudo sejam caminhos ramificados, já que a grande parte da história é bastante linear e cada nível é essencialmente apenas uma série de corredores que atravessamos, com muito pouca exploração. A jogabilidade também é um parente pobre da maioria dos jogos point-and-click. Os criadores do jogo tentaram afastar-se tanto do rótulo que trocaram a jogabilidade para um esquema WASD com o shift para correr mas que infelizmente não funciona.

Se gostam de jogos com foco na história, Lacuna – A Sci-Fi Noir Adventure é realmente bom, no entanto podem gostar de aventuras point-and-click pela exploração e resolução de puzzles e nesse caso talvez este seja um jogo a evitar já que a resolução de puzzles não é todo semelhante e a exploração é mínima.

Tiago Roque

Leave A Comment