Análise: The Invisible Hand

Se têm algum tipo de interesse no mercado de valores então The Invisible Hand pode realmente ser para vocês. The Invisible Hand explora o mundo obscuro das empresas que tentam tirar proveito do mercado e utilizando toda a influência e truque à sua disposição para ganhar dinheiro e enganar o sistema. Infelizmente o jogo também baseia muitas das suas mecânicas no trading do dia a dia, o que juntamente a uma história bastante linear que não parece ter em conta praticamente nada do que fazemos no jogo, não funciona propriamente bem em conjunto. The Invisible Hand quase que parece mais uma curta experiência em vez de um jogo e acaba por perder por isso.

The Invisible Hand começa com a nossa personagem sem nome a ser contratada por uma empresa financeira de elite. A nossa personagem não tem experiência mas tem um parente conhecido e como todos sabemos, isso é mais importante do que qualquer curso. Em pouco tempo ele está dentro dde tudo o que se passa na empresa e afogado no lamaçal sem ética que a caracteriza. A história em si envolve principalmente um grupo de vigilância que mantém a empresa sobre vigilância enquanto o jogador usa ferramentas ilícitas para obter vantagem sobre a concorrência. O jogo tenta dar-nos a ilusão de controlo e a ideia de que podemos seguir até um caminho legal ou tentar fazê-lo, mas a realidade é que independentemente do que fizermos a história irá ser exatamente a mesma.

Como corretor da bolsa, o jogo coloca-nos essencialmente a comprar e vender ações. Começamos com uma certa quantia de dinheiro que pode ser usada para comprar e vender ações. Podemos comprar ações normalmente, vender a descoberto e até receber dividendos em compras longas. No entanto, não há como comprar ou vender automaticamente com base no preço das ações, algo que existem em praticamente todas as plataformas do mercado. O lado esquerdo da plataforma de negociação tem um feed que contém dicas sobre ações. Podemos tentar verificar a validade das dicas vendo quantos likes cada uma recebe, mas nem sempre corre bem como é na vida real. Mas temos também acesso ao Geistnet que oferece informações privilegiadas sobre o que vai acontecer com certas ações, algo que é ilegal. Além disso podemos simplesmente enviar lobistas forçar as condições que queremos, como desvalorizar uma ação ou moeda e aproveitar a instabilidade.

Juntamente com tudo isto recebemos também fundos diretamente na nossa conta e que podemos utilizar para comprar itens ou propriedade que podemos depois alugar por exemplo e aumentar ainda mais a nossa riqueza. Tudo isto parece interessante e era se o jogo aproveitasse tudo isto para algo, mas aquilo que rapidamente descobrimos é que tudo isto parece ser para nada e todo o progresso se baseia em competir com rivais e em quem atinge algumas metas primeiro. O day-trading é uma experiência interessante e divertida, mas é fácil apesar de todo o mercado não parecer seguir nenhum tipo de lógica.

Infelizmente tudo é irrelevante e façam o que fizerem o jogo vai simplesmente ignorar tudo e colocar ao jogador uma escolha binária, que depois de selecionarmos faz o jogo continuar.Nada do que fazemos faz diferença e independentemente do que fazemos iremos ver os mesmos eventos a acontecer. Isto faz com que pareça que a ideia é realmente contar uma história e isso leva-nos a perguntar, então para que serve tudo o resto no jogo. O jogo demora cerca de três horas a completar e apesar de podemos continuar a jogar, não parece existir nenhuma razão para o fazer.

Tiago Roque

Leave A Comment