Análise: Overboard!

Overboard! é um thriller passado num cruzeiro que faz a viagem entre o Reino Unido e Nova York algures na década de 1930. O jogo tem como pano de fundo um assassinato e todo o mistério decorre daí, mas ao contrário de outros jogos ou histórias do género, aqui a história é contada através da perspectiva do assassino.

Colocar o jogador no papel da atriz Veronica Villensey, que lança o seu marido Malcolm no Atlântico para reivindicar o seguro de vida é uma escolha interessante e no mínimo original. O trabalho do jogador é criar um álibi para Veronica e até tentar implicar outro passageiro na morte de Malcolm. Isso é conseguido visitando o navio e conversando com outras personagens, que tanto se podem tornar aliados como podem desvendar segredos que podemos usar a nosso favor.

O jogo tem um relógio interno que avança até a chegada ao destino e o sucesso que podemos ter depende de como utilizamos o tempo que temos até chegar a Nova York. Temos que ter um plano e executar o que planeamos de forma rápida. Como na realidade, existem poucas chances de escapar impune de um assassinato, mas como isto é um jogo, podemos melhorar através do erro e por isso o jogo é reiniciado constantemente, dando-nos uma nova chance de tentar abordar os eventos e suspeitas uma segunda, terceira ou mais vezes. Além de tudo isto existem ainda objetivos colaterais que podemos ir resolvendo em cada tentativa e dessa forma ver algum progresso.

O jogo tem bom aspeto e especialmente uma interface simples que contém uma representação 2D do navio e uma série de janelas de diálogo simples. Overboard! reproduz brilhantemente todos os personagens arquetípicos e intrigas de um romance do género, com alguma ironia moderna e autoparódia. É fácil entrar dentro da história e sentirmos-nos completamente imersos neste mundo e nas suas personagens. Este não é um jogo com valores de produção muito altos, mas os seus criadores souberam manter o foco naquilo que conseguiam criar com qualidade. É um jogo compacto que tem bem mais em comum com uma visual novel do que qualquer outra coisa, mas tem também o charme dos clássicos literários do género.

Overboard! é um jogo de aventura e mistério que consegue ser refrescante ao colocar o jogador no papel de assassino. A ideia de o foco ser encontrar um alibi é realmente divertida e o humor do jogo e no geral a escrita irá agradar muito a todos os fãs do género, especialmente aqueles fãs de livros de escritores como Agatha Christie e que podem jogar algo que acaba por ser melhor do que a maioria das adaptações diretas dessas obras.

Tiago Roque

Leave A Comment