Análise: Chernobylite

Chernobylite é um jogo sci-fi de sobrevivência e com elements rogue metidos à mistura. O palco do jogo é a zona de exclusão de Chernobyl, algo que poderiam não ter percebido pelo título, mas que o jogo devia ter algo relacionado com o desastre nuclear de Chernobyl não é certamente surpresa para ninguém. O processo de produção do jogo foi longo, passando alguns anos em acesso antecipado, mas agora está terminado e o resultado é bastante bom.

Aquilo que salta logo aos olhos é o aspeto de Chernobylite. O jogo tem muito bom aspeto e acima de tudo tem um ambiente fantástico. Obviamente não é um ambiente fantástico do género daquela festa que realmente gostaste de ir, aqui por ambiente fantástico entenda-se, europa de leste após um desastre nuclear, com uma Pripyat recriada ao detalhe ao ponto de ser quase tão deprimente como a original. Mas resumindo, Chernobylite parece muito bom. Os exteriores são exuberantes, com folhagem a mover-se ao sabor do vento enquanto o sol brilha envergonhadamente através das árvores acima, enquanto as opressivas estruturas da era soviética jazem desertas em ruas abandonadas. Os interiores estão destruídos pelo tempo, as paredes descascadas e conseguimos sentir a história tráica do local. COmo se tudo não fosse suficiente ainda temos figuras sombrias a habitar este local.

Os jogadores assumem o papel de Igor, um antigo cientista da central nuclear que retorna à zona de exclusão de Chernobyl para procurar a mulher, de quem ele tem visões, apesar de ter morrido no desastre nuclear. O mundo do jogo não é um local de todo acolhedor, com a culpa principal a ser a radiação, os militares hostis e as ameaças sobrenaturais, mas até o ambiente soviético que se vive aqui é opressivo.

A jogabilidade gira em volta do refúgio de Igor, que funciona como um centro e é aqui onde os jogadores podem criar equipamentos que, por sua vez, podem ser usados para criar consumíveis para uso nas restantes áreas do jogo. Os jogadores também podem criar itens para o refúgio, melhorando as condições de vida, o que, por sua vez, mantém os companheiros de Igor felizes. Os companheiros precisam de comida e de que outras das suas necessidades sejam satisfeitas para que sejam eficazes. Podemos partilhar armaduras e armas com eles para aumentar a sua probabilidade sucesso no campo. À primeira vista Chernobylite pode parecer um jogo de mundo aberto mas não é. O jogo é composto por missões que se desenrolam em algumas áreas da zona de exclusão e depois essas áreas são revisitadas várias vezes durante o jogo, mas em diferentes momentos do dia. Conforme o jogo avança, as patrulhas inimigas aumentam e os encontros com monstros tornam-se mais prováveis.

A cada dia que passa, os jogadores podem escolher uma missão que permite receber itens para os companheiros e para Igor ou podemos ir para uma missão de história com Igor. Assim que a missão estiver terminada, podemos tentar procurar mais recursos ou voltar à base. Um scanner ajuda-nos a localizar recursos e existem vários comerciantes em cada nível que podem fornecer mercadorias em troca de balas, alimentos ou equipamentos. Não existem apenas recursos espalhados pelas áreas de missão, existindo também segredos a descobrir. Alguns são elementos da história, que preenchem com detalhes o mundo do jogo e outros são pistas para os mistérios que Igor está a tentar resolver. O ciclo diário de eventos pode parecer uma repetição desnecessária que interrompe o fluxo do jogo, mas o resultado final é agradável e permite adicionar de forma mais simples novo conteúdo.

Morrer em Chernobylite custa alguns itens aleatórios e falha a missão. A morte também permite que Igor reveja certas memórias e faça escolhas diferentes, mudando o curso dos acontecimentos. O combate em si tem alguma falta de polimento e não é tão divertido como poderia ser, mas o jogo encoraja algumas abordagens mais furtivas, por isso tenham isso em mente. Existe um sistema de cobertura é também meio confuso e mostra a mesma falta de refinamento que o resto do combate.

Com um ambiente muito semelhante a Metro 2033 ou até S.T.A.L.K.E.R, Chernobylite é uma proposta muito boa dentro do género. Tem falhas em algumas áreas, mas tem tanto para explorar e um ambiente tão bom que as falhas são fáceis de ignorar. Também não pensem nas falhas como algo completamente quebrado, muito pelo contrário. O combate é bom, simplesmente não é tão bom como poderia ser.

Tiago Roque

Leave A Comment