Análise: F1 2012

F1 2012 é pouco mais do que o polimento do jogo do ano passado ao mesmo tempo que introduz várias novidades que além de fazerem justificar a compra para quem comprou F1 2011 tentam também atrair um publico mais casual. Superar um jogo da qualidade de F1 2011 não era trabalho fácil, tal como a EA tem um problema com FIFA a Codemasters tinha um problema com F1. Apesar de F1 2011 ser um jogo praticamente perfeito era necessário fazer algo para justificar lançar um novo jogo este ano e foi isso que a Codemasters conseguiu fazer, mostrando que é uma referência no que toca aos jogos de condução.

A Codemasters tinha um objectivo em F1 2012, refinar tudo o que já tinha sido feito antes ao mesmo tempo que introduzia novas características que tornassem F1 2012 mais atraente para um publico mais abrangente. Assim podem esperar muitos dos erros de títulos anteriores resolvidos e novas características para os mais novatos neste gênero de jogos. Não esperem no entanto que F1 seja agora um jogo arcade, pois a condução continua bastante mais próximo do gênero simulador, apesar de manter uma clara distancia em relação a jogos como Live for Speed ou GTR.

A primeira novidade introduzida pela Codemasters é o modo Season Challenge, que é uma versão condensada do tradicional modo carreira, composto apenas por dez corridas onde têm como objectivo bater os vossos adversários diretos, escolhidos por vocês. Desta forma o tempo que terão de dispender no jogo é menor, assim como não têm necessidade de ficar nos primeiros lugares, basta ficarem à frente dos vossos adversários.

Outra novidade é o Champions Mode, onde vão defrontar os seis campeões do mundo que fazem parte do campeonato esta temporada. Este modo é novamente pensado para sessões de jogo mais curtas, apelando assim a jogadores mais casuais. Relativamente ao modo carreira não há nada de novo a assinalar. Terão que conseguir ganhar corridas de menor dimensão de forma a ganharem reputação suficiente para atrair as equipas de renome e chegar ao topo, culminando com a conquista do campeonato mundial.

Para os jogadores mais novatos foi também introduzido o Young Drivers Test que tal como o nome indica é uma série de testes que introduzem o jogador ao modo carreira e ensinam novas técnicas de condução, tal como introduzi-lo a sistemas como o DRS e às mudanças no comportamento do carro em diferentes condições meteorológicas.

O modo cooperativo continua presente este ano e possibilita a que dois jogadores possam fazer uma temporada como colegas de equipa, no entanto este ano já não é possível controlar os pilotos oficiais, ficando essa possibilidade reservada para o modo Quick Race, onde podem disputar qualquer um dos Grandes Prêmios do campeonato.

O tradicional modo contrarrelógio está também presente e o modo online competitivo permite a 16 jogadores competirem entre si. Se têm com quem jogar em casa e até preferem jogar offline há ainda o modo ecrã dividido.

Tiago Roque

Leave A Comment