Análise Forge

Forge tem como objectivo oferecer o melhor do PvP dos MMORPGs sem a componente PvE que se tornou a imagem de marca deste género. Com Forge a Dark Vale Games concentrou-se totalmente em apresentar a sua própria versão de um MMO de combate PvP na terceira pessoa, sem a necessidade de os jogadores para passarem horas no conteúdo PvE que às vezes pode ser uma barreira de entrada para modos de PvP. Neste processo Forge perde também uma das componentes mais importantes deste género. O primeiro Guild Wars por exemplo possibilita aos jogadores criar uma personagem apenas para PvP, ao mesmo tempo que continua a ser um jogo com um extenso PvE.

A jogabilidade é interessante na teoria, especialmente para os fãs do estilo PvP dos MMORPGs, e sua experiência do núcleo do jogo pode ser muito divertida, mas o jogo em si deixa um sentimento de inacabento. A Dark  Vale criou um sistema de jogo sólido com Forge, e enquanto os criadores têm vindo a adicionar modos e ajustes desde o lançamento, a experiência global fica muito próximo do que se espera de uma beta. Forge tem muito potencial, mas precisa de fazer melhor em várias partes da sua jogabilidade. No entanto se o conseguir promete tornar-se um dos melhores PvP disponíveis actualmente.

Há um punhado de campos de batalha em Forge, que apresentam ambientes que variam de agradáveis a bons. Estes campos de batalha, que incluem  áreas de batalha em fortalezas, florestas, centros da cidade, e uma arena tutorial, tem arquitectura geralmente interessante e detalhada, com personalidade suficiente para se  destacar entre a imensidão de jogos de fantasia. Algumas das texturas do jogo pode ser pobres, mas os efeitos agradáveis de ​​Forge na iluminação pode mascarar a falta de profundidade de cor.

Os menus de Forge são funcionais, mas, sem inspiração e a musica é um pouco repetitiva. A interface do jogo das personagens e sons de combate aumentam a diversão do jogo. A interface do utilizador é semelhante ao que se encontra na maioria dos MMOs, exibe pequenos ícones que permitem acompanhar o progresso dos cooldowns das habilidades. É um toque subtil que permite manter os olhos na acção em vez de olhar para a toolbar. Da mesma forma, os sons de combate não são muito diferente do que se encontra em outros jogos.

A característica mais forte de Forge está na experiência de jogo, que é composto essencialmente de PvP em campos de batalha, sem o mundo PvE. Vão entrar em batalhas por equipa com base em diferentes modos de jogo como Deathmatch, Capture ou Arena em que ganham experiência para as vossas personagens. Esses personagens não são costumizaveis, são baseadas em cinco classes Assassin, Pathfinder, Pyromancer, Shaman, e Warden. Cada uma das classes é diferente das outros em habilidades e funções na equipa, e essa variedade prevê uma grande profundidade na jogabilidade de Forge.

Aprender a dominar uma das classes de Forge vai exigir algum trabalho, mas vale a pena o esforço. O jogo emprega usa controlos com cooldown baseados em habilidades que são mapeadas em torno das teclas de movimento WASD . Esta escolha de design incentiva o ritmo acelerado de combate que requer habilidade e pouca gestão de recursos. É fácil o suficiente para saltar com uma nova classe e causar alguma confusão, mas para realmente compreender as habilidades de cada personagem, posicionamento ideal e papel na equipa, terão que gastar algum tempo a experimentar diferentes cenários.

Jogarem bem Forge trás dois benefícios principais. Primeiro como é um jogo com foco em PvP em equipa quando um elemento da equipa faz um mau trabalho vai ter que aturar uma equipa inteira a culpá-lo e segundo porque a experiência que ganham é influenciada pela vossa prestação.  Em termos de modos de jogo, Forge oferece um rápido tutorial que nos dá uma visão geral do movimento do jogo e habilidades, e é necessário que o concluam antes de poderem saltar para os jogos online. O menu Quick Play permite participar nos modos Team Deathmatch, Capture the Relic, e Arena, ou seleccionar um cenário de forma aleatória.

Apesar de alguma escassez actual de opções de jogo, a jogabilidade de Forge é muito divertida, e permite alguns momentos agitados em combate. O jogo permite que façam saltos de parede, por exemplo, que permite fazer um monte de fugas ousadas de combate corpo a corpo. Da mesma forma, cada classe tem a sua própria abordagem única e habilidades. Há medida que vão jogando começam a perceber um pouco melhor o que se passa e vão vendo jogadas brilhantes. Forge é inovador na sua capacidade de destilar o que é divertido nos MMORPGs desde que o PvP seja a vossa prioridade.

As peças que estão disponíveis em Forge estão bastante polidas, mas há algumas omissões evidentes nas características de jogo que precisam ser abordadas. Os mencionados modos de jogo e funcionalidades indisponíveis são uma falha, juntamente com o sistema de nivelamento inacabado que não tem qualquer espécie de tutorial. O jogo também tem um menu comunitário social que precisa de melhoramentos.

Há uma lista de funcionalidades futuras do jogo, incluindo a capacidade de personalização , funcionalidades sociais adicionais, guilds, novos mapas, etc.. Tudo isto está presente no menu inicial, pelo que o próprio estúdio reconhece as falhas de Forge.  É óptimo que a Dark Vale Games está a trabalhar em melhorar Forge, e acredito que consigam cumprir as suas promessas. Nota-se bastante empenho em Forge e daqui a um tempo Forge será ainda melhor ainda do que é actualmente.

A jogabilidade de Forge é divertida e viciante, e pode definitivamente incentivar repetidas sessões de jogo, embora os modos de jogo precisem de melhoramentos, apesar de modos como Team Deathmatch  consigam motivar jogadores eternamente. Parece haver uma quantidade constante de pessoas a jogar Forge durante o dia, e geralmente é fácil começar uma partida. Como em todos estes jogos é normal haver muito “rage” e a melhor solução é aprender a jogar e não sermos nós a começar discussões. Uma comunidade dedicada significativa é o que Forge necessita para atingir seu potencial como uma potência PvP, e neste momento, é difícil dizer se essa comunidade existe, mas há pelo menos muitos jogadores online.

Forge tem um preço atraente e já teve uma promoção de comprar dois pelo preço de um. É também preciso apenas comprar uma vez, não há mensalidades e os criadores continuam a lançar conteúdo gratuito. Por todas as coisas que ele faz bem, Forge parece precisar apenas de um pouco de tempo até atingir o seu real potencial. Certamente se voltasse a esta análise daqui a um mês ou dois este 8.4 seria um 9 ou mais até.

Pontuação: 8.4/10

Requisitos de sistema

Minimum:

    • OS:Windows XP
    • Processor:Dual Core 2Ghz
    • Memory:2 GB RAM
    • Graphics:DirectX 9.0c complient with 512MB of RAM
    • DirectX®:9.0c
    • Hard Drive:6 GB HD space
    • Sound:DirectX Compatible Sound Card

Recommended:

    • OS:Windows 7
    • Processor:Quad Core Intel or AMD CPU
    • Memory:4 GB RAM
    • Graphics:DirectX 9.0c compatible NVIDIA or AMD ATI video card with 1GB of RAM (Nvidia GeForce GTX 260 or higher; ATI Radeon 4890 or higher)
    • DirectX®:9.0c
    • Hard Drive:6 GB HD space
    • Sound:DirectX Compatible Sound Card
    • Other Requirements:Broadband Internet connection

Tiago Roque

Leave A Comment