Análise Special Forces: Team X

Convém começar esta análise a explicar que foi realmente difícil encontrar condições para poder analisar o jogo, por uma razão muito simples, andar aos tiros num mapa vazio não é muito divertido. Special Forces: Team X é um shooter na terceira pessoa. É multiplayer apenas e se quer sobreviver a longo prazo, vai precisar de uma dedicada base de jogadores e uma equipe de desenvolvimento dedicada para manter o interesse dos jogadores com boas actualizações. Infelizmente este é um daqueles jogos que ninguém joga e então ninguém o vai comprar. É um ciclo que pode fazer com que um jogo possa morrer apenas dias após o lançamento. Na versão Steam que tivemos acesso os vários servidores eram desertos sem vida e foi preciso tentar algumas vezes até entrar no no jogo numa altura em que houvesse um servidor cheio o suficiente para que pudesse analisar o jogo, o que me leva muito sinceramente a declarar este jogo como morto apenas uma semana após o lançamento e a precisar urgentemente de uma promoção de 75% pelo menos para o tentar  revitalizar.

SF: TX em si é bastante robusto, colocando 16 jogadores um contra o outro em mapas de três partes cujos componentes são votados pelos jogadores antes de a partida começar. É um cover shooter habitual, em muitos aspectos, mas oferece bastante ideias inteligentes  para se destacar.  Tacticamente é também bastante standard. Fiquem perto de colegas de equipa; cobram-se uns aos outros e a si mesmo; procurem oportunidades para flanquear ou controlem o terreno elevado contra seus inimigos. A maioria dos modos de jogo incentivam o movimento regular, de modo que o ritmo permanece elevado e o “campismo” é mantido no mínimo e caso se depararem com alguém que está escondido, um par de granadas geralmente resolver o problema. É ainda possível usar cães de ataque que infelizmente sofrem crises de confusão e decidem apenas permanecer no lugar.

Praticamente tudo de positivo que fazem no jogo ganha pontos de experiência, desde ganhar partidas a matar inimigos, que por sua vez desbloqueam novas armas, habilidades e equipamentos. O mesmo vale para os equipamentos, que se expande de a granada e cão de ataque para incluir minas, granadas com efeitos e packs de saúde. Cada jogador também tem uma habilidade “activa” e “passiva”, onde o primeiro pode ser usado para dar resistência temporária ou aumentos de velocidade para a equipa. Como tende a ser o caso com atiradores de cobertura, jogar com o rato e teclado não são soluções ideais. Não é muito preciso e acabamos quase sempre por fazer algo completamente diferente do que queremos como dar um mergulho em vez de nos protegermos.

O problema da falta de jogadores é tão grande que um patch recente permitiu que todos os jogadores possam ver servidores estrangeiros. No entanto, isto traz ainda mais problemas do que aqueles que realmente resolveu. A falta de jogares mantém-se e graças ao lag e problemas de nivelamento não recomendo a jogarem em servidores fora da região, até porque infelizmente nem o numero real da lantencia é mostrado, ficando o jogador reservado a ver um numero de barras bastante subjectivo.

Enquanto o sistema de votação para os blocos de mapa é grande, e se estende a variedade nível muito mais do que jogos como este normalmente conseguem, o tempo dado para a escolha é demasiado grande. Com 30 segundos no lobby e mais 30 segundos na votação mapa sinceramente senti varias vezes vontade de simplesmente sair do jogo e ir jogar outro shooter qualquer. Deveria haver forma de criar um jogo rápido em que não fosse necessário os jogadores votarem na configuração do mapa.

Estes problemas não são realmente a razão do falhanço de SF: TX. Sim ele tem problemas, mas quando há realmente alguém para jogar é até um jogo relativamente sólido, um 7/10 ou perto disso, infelizmente se não há ninguém para jogar então o jogo não funciona. Não há componente singleplayer para entreter os jogadores quando não há ninguém online e sem uma boa campanha de promoção do jogo e um bom desconto na Steam não vejo qualquer futuro para este jogo. Talvez se o tornarem free-to-play ganhe jogadores suficientes para se manter activo, mas não consigo ver a Zombie Studios em deixar de apoiar Blacklight Retribution para perder mais tempo com este jogo, assim como não acredito que seja muito melhorado em patches futuros. Se as minhas previsões se mantiverem fiquem longe dele, se realmente algo mudar continuam a existir melhores propostas no mercado, mas pelo menos havia com quem jogar.

Pontuação: 4.5/10

Requisitos do Sistema

Minimum:

    • OS:Windows Vista, Windows 7 (32-bit)
    • Processor:Dual-Core CPU
    • Memory:2 GB RAM
    • Graphics:256MB DX9 GPU (Geforce 8xxx or Radeon HD2xxx)
    • DirectX®:9.0
    • Hard Drive:1 GB HD space
    • Sound:DirectX 9.0c compatible sound card
    • Other Requirements:Broadband Internet connection

Recommended:

    • OS:Windows 7 (64-bit)
    • Processor:Quad-Core CPU
    • Memory:4 GB RAM
    • Graphics:1GB+ DX10 GPU
    • DirectX®:10
    • Hard Drive:1 GB HD space
    • Sound:DirectX 9.0c compatible sound card
    • Other Requirements:Broadband Internet connection

Tiago Roque

Leave A Comment