Análise Rocksmith 2014

A minha definição de videojogo não é tão ampla como a de muitos jogadores. Um jogo precisa de ser interactivo, ter objectivos e no decorrer do jogo deve ter consequências. Nestes termos torna-se um pouco difícil caracterizar Rocksmith como um jogo, mas enquanto pensava isso também me apercebi que não me importava minimamente com isso. Apesar de existirem alguns mini-jogos, Rocksmith é uma ferramenta de aprendizagem de guitarra, e penso que baixo também, e nisso é simplesmente fenomenal.

Não tive oportunidade de jogar o Rocksmith original, mas baseado em algumas análises alheias parece ter existido uma grande evolução. Mas no que me toca a mim vou ter que falar como se esta fosse a primeira versao do jogo, algo que ira acontecer a muitos jogadores por ai. Eu nunca tive aulas de guitarra, no entanto tinha uma Fender perdida por casa que comprei com ideias de aprender a tocar. Como é óbvio a tarefa tornou-se mais complicada do que eu antevira e acabou por ficar esquecida, no entanto Rocksmith fez-se voltar a tentar e surpreendeu-me de uma forma que poucos jogos o fizeram nos últimos anos. Convém referir entao o que e Rocksmith e como funciona antes de entrar em mais detalhes da minha experiência de jogo.

Rocksmith e um jogo rítmico em tudo semelhante a Rock Band ou Guitar Hero, mas com a enorme diferença de utilizar um instrumento real. Lembram-se quando Guitar Hero estava no seu auge e apesar de muitos músicos realçarem a importância do jogo lamentavam que na verdade não ensinavam nada? Rocksmith pega nesse problema e torna-o num produto. Como se essa ideia não fosse boa o suficiente, o facto de no fundo poderem comprar uma edição do jogo com uma guitarra Les Paul por pouco mais que pagariam por uma edição de Rock Band para mim é uma ideia irresistível.

No entanto isto é um conceito e tinha serias duvidas quanto ao resultado final. Assim que recebi o jogo e o liguei e comecei o processo de afinar a guitarra comecei a ficar mais e mais impressionado. No inicio do jogo somos questionados sobre o nosso grau de habilidade com a guitarra e mal cheguei ao menu tentei a minha sorte logo com uma musica. Foi aqui que o jogo me surpreendeu realmente. A forma como o jogo se torna satisfatório para todos os graus de habilidade é fantástico.

Rocksmith2014Edition_screen_10_GC_130821_10amCET_1376916112

A primeira vez que joguei apenas tive que tocar algumas cordas e apesar de ficar impressionado pela forma como o jogo recebia e identificava tudo o que eu fazia, as poucas notas que apareciam no ecrã fizeram-me sentir um verdadeiro noob. Mas quando voltei a tentar a mesma musica apercebi-me da forma como esta se ia complicando a medida que eu ia melhorando a tocar. Não se trata sequer de uma subida de nível linear. Mesmo no decorrer da musica conseguimos ver o jogo a adaptar-se quando erramos demasiadas notas ou desafia-nos quando nos estamos a safar bem. O modo de aprendizagem de musicas é uma luta para quem pouco sabe de guitarra, com os jogadores a tentarem atingir o máximo de notas.

Nesta altura que estou a escrever esta análise tenho apenas duas musicas em que me são mostradas todas as notas da musica.mas rocksmith vai ainda um passo a frente com o master mode. Quando o jogo nos considera preparados desafia-nos com zonas onde não nos são mostradas notas sequer, com o jogador a ter que se lembrar da musica e é aqui que realmente sentimos que melhorámos bastante. Não é um jogo que memoria como seria se existi-se este modo no Guitar Hero, é um jogo de perícia, técnica e timing.

Rocksmith-2014-pic-3

Se eu admitir que Rocksmith é um jogo, então é definitivamente o jogo em que mais me senti recompensado pelo meu esforço. Não me importam troféus inúteis, arte do jogo desbloqueavel ou qualquer outra treta dos jogos modernos. Aqui aprendi uma habilidade real, que posso usar no mundo real e isso é o máximo de recompensa que um jogo pode oferecer. Depois de tudo isto é preciso salientar que ainda falei apenas de um dos modos de Rocksmith e nem sequer falei da interface, grafismo e lista de musicas. Quanto à interface posso dizer que a maioria concorda que foi uma melhoria enorme relativamente ao jogo anterior, mas infelizmente não posso realmente confirmar pois não joguei o anterior.

No que toca ao gameplay, Rocksmith é muito semelhante aos jogos que já referi antes, Guitar Hero e Rock Band, mas um pouco mais minimalista, sem multidões ou bandas virtuais a complicar tudo. A lista de musicas é variada abrangendo muitos géneros musicais e já existem musicas para comprar na loja. Tendo em conta que o jogo realmente nos ensina a tocar são também óptimas compras. Alem do modo learn a song, existem mais alguns modos interessantes. Vou começar pelo modo lessons que é uma ajuda enorme a quem nunca tocou antes, abrangendo desde a lição mais básica de como segurar a guitarra ate a técnicas avançadas. Depois existe o modo session, que ao contrario do anterior é muito mais indicado a quem já toca fluentemente, dando-nos uma banda virtual customizavel que nos acompanha. Podemos escolher todos os instrumentos da banda, desde o instrumento ate ao tipo, tipo de musica que vai tocar e outros ajustes para os mais curiosos.

t_rocksmith2014_devdiary_gc2013

Assim que começamos a tocar a banda tenta acompanhar, dando substancia ao nosso solo. Este e um modo muito interessante que justifica a compra do para quem nao precisa de aulas de guitarra. Para dar alguma variedade e passar o tempo existem ainda alguns mini-jogos. Estes são bastante variados mas pouco mais oferecem do que uma forma de quebrar o ritmo, mas mesmo nestes mini-jogos estamos a aprender a tocar. Cada mini-jogo ajuda-nos a treinar algo diferente, desde a forca, a ritmo ou a treinar os vários acordes. Alguns são melhores que outros mas existem alguns realmente engenhosos. O mini-jogo que nos ensina acordes por exemplo faz um óptimos trabalho.

Com o aspecto de um shooter espacial, aqui temos que usar acordes para destruir as naves, com o jogo a começar por nos mostrar apenas a forma simplificada, como A5 por exemplo e se jogador demorar começa a mostrar as cordas e frets necessários. Rocksmith 2014 e uma peça de tecnologia gigante que me surpreendeu de uma forma que poucos jogos o fazem. Não e também apenas uma ideia interessante, pois a implementação da ideia funciona e enquanto jogadores conseguimos ver realmente resultados e resultados rapidos. Ao fim de dias conseguimos tocar alguma coisa e ao fim de algumas semanas dificilmente nos lembramos que à bem pouco tempo nem sabíamos o que era um fret.

Se a vossa única duvida e se realmente funciona, podem ficar descansados. Se querem um jogo de festa como Guitar Hero entao Rocksmith não é isso. É um jogo bem mais serio que realmente ensina algo e que tem um espaco na biblioteca de cada um. Podem ainda existir alguns problemas na deteccao perfeita das notas, normalmente no beneficio do jogador, mas isso e um problema mínimo para tudo o que Rocksmith faz bem.

9.5/10

Tiago Roque

Comment (1)
Jogos do ano 2013 | Combo Caster
Fevereiro 25, 2014

[…] Menção Honrosa – Rocksmith 2014 […]

Responder

Leave A Comment