Análise Dungeons & Dragons: Chronicles of Mystara

Dungeons & Dragons pode ser mais jogado enquanto RPG Table Top mas a industria dos videojogos está recheada de bons jogos baseados nas suas regras e licença. Dungeons & Dragons: Chronicles of Mystara é uma pequena compilação de dois sucessos na série Dungeons & Dragons, Shadow Over Mystara e Tower of Doom, jogos que foram muito bem recebidos aquando do seu lançamento e são ainda uns dos melhores com o nome Dungeons & Dragons. Obviamente os gráficos que foram tão elogiados no lançamento original são agora datados, mas o resto ainda consegue ser divertido e relevante actualmente.

Estes são os jogos antigos tal como se lembram deles e pouco foi alterado. Infelizmente isso significa que pouco foi melhorado para os tempos de hoje. A jogabilidade foi revista levemente e existem alguns objectivos adicionais que são uma adição bem conseguida, assim como tabelas de classificação. Mas nada disto torna o jogo realmente diferente aquele que podíamos jogar à alguns anos. O grafismo continua também igual, apenas com alguns filtros novos que tentam trazer o jogo para os padrões actuais, mas nem todos funcionam bem e alguns prejudicam mais do que ajudam. Se conseguirem habituar-se aos visuais originais, essa é realmente a melhor escolha.

As memorias que tinhamos de Chronicles of Mystara eram a de um jogo fantástico de jogar com amigos e isso continua igual ou melhor. A jogabilidade está mais fluida e jogar online é melhor do que nunca graças à nova tecnologia da Capcom que praticamente elimina quaisquer problemas de latência. Este é aliás um dos beat’n’ups clássicos que juntamente com Golden Axe inspiraram jogos como Dragon’s Crown. Se foram jogadores na década de 90 sabem que este era um género muito popular, talvez o mais popular, sendo talvez tão popular na altura como os FPSs são actualmente.

A narrativa dos dois jogos que compõe Chronicles of Mystara é bastante diferente mas podem ser vistos como um jogo apenas pois a sua história tem sequência. No que toca à qualidade em si, Tower of Doom é claramente o jogo mais fraco, ou pelo menos aquele que pior se enquadra nos padrões actuais. Maior parte das mecânicas têm mais em comum com os primeiros jogos do género do que com os actuais, mas Shadow Over Mystara com um grafismo um pouco melhor poderia ser confundido com os jogos actuais. A jogabilidade é acessível e fluída, rápida e com muitas personagens diferentes que proporcionam essa jogabilidade.

Dungeons-and-Dragons-Chronicles-Mystara-screenshot

Este não é um jogo com grandes gráficos e todas as inovações que tornaram os jogos mais casuais nos últimos anos. Mas se olharmos para a quantidade de jogos indie lançados actualmente e para o grafismo de grande parte destes podemos ver que em termos visuais Dungeons & Dragons: Chronicles of Mystara não está assim tão datado. Obviamente se olharmos para os AAA há realmente uma grande diferença, mas a jogabilidade continua actual e este género consegue realmente ainda ser relevante e merece um espaço na industria.

7/10

Tiago Roque

Leave A Comment