Análise LEGO Marvel Super Heroes

Por vezes gostava de voltar atrás para mudar algumas frases das minhas análises. Não porque menti na altura, mas porque lançamentos seguintes tornaram o que eu disse mentira ou pelo menos não tão verdade. Na análise ao LEGO City Undercover disse que esse era o melhor LEGO de sempre, mas com Marvel Super Heroes acabado de lançar essa frase pode já não ser verdade. Não me levem a mal, City Undercover é fantástico, mas Marvel Super Heroes tem 150 das melhores personagens da Marvel num esquema de jogo semelhante, portanto torna-se muito difícil não passar a coroa para a mais recente entrada na série.

Com os super heróis da Marvel mais populares do que nunca com filmes a sair todos os anos, séries de animação e live action de grande sucesso nas nossas TVs e a banda desenhada fiel à qualidade habitual, esta é a melhor altura para se ser fã e este jogo vem capitalizar nisso mesmo. Mas não se trata de um uso barato e foleiro de uma licença, mas de um dos melhores jogos LEGO. A formula não mudou assim tanto desde o lançamento de LEGO Star Wars, mas todos os lançamento inovam de uma forma ou outra e não se limitam a colocar a mesma jogabilidade noutro ambiente, pois todos os universos que vão aparecendo têm algumas características especiais que a TT tenta aproveitar.

Esta não é a primeira vez que vemos um LEGO de super heróis. O ano passado saiu o segundo LEGO Batman, mas apesar de ter qualidade não sequer perto da grandiosidade de Marvel Super Heroes, com o seu elenco enorme e grande cidade para explorar. Podem encontrar os vossos heróis favoritos, desde o Wolverine, Iron Man, Homem-Aranha ,Thor ou o Hulk cada um com as suas habilidades mais conhecidas. Tratando-se de um jogo LEGO não estava realmente à espera de grande fidelidade relativamente ao material de origem, mas ela existe realmente, com todas as habilidades a terem o efeito esperado, excepto uma ou duas que foram enfraquecidas um pouco por questões de equilíbrio.

De resto podem encontrar o humor característico dos jogos LEGO , apesar de este parecer apontado a um publico um pouco mais jovem o que resulta em algumas piadas demasiado infantis, mas no geral é muito próximo daquilo que encontrámos anteriormente. Estes jogos nunca foram para ser realmente levados a sério, portanto algumas piadas infantis não estragam realmente a experiência para o resto. Aquilo que realmente mudou foi a jogabilidade. Apesar de parecer familiar, a quantidade de personagens e variedade de poderes fazem com que esta tenha uma profundidade muito superior aquela que teve até agora.

lego-4-noscale

A exploração livre também está de volta, desta vez em Nova York. Neste aspecto podem fazer o que sempre fizeram, explorar, encontrar peças ou roubar carros entre outros eventos. A condução de veículos continua a ter alguns problemas e tudo o que envolve voar é uma carga de trabalhos. Felizmente há tanto para gostar e fazer que esses problemas são rapidamente esquecidos. O maior problema na minha opinião é realmente a falta de dificuldade. Esta já era notória nos jogos anteriores e eu gostaria que com o tempo a TT se lembra-se que alguma penalidade por morrer é bem vinda, pois mesmo para os mais novos demasiada facilidade pode criar algum tédio.

Apesar de ser um jogo fantástico, Marvel Super Heroes mostra que a fórmula começa a ficar um pouco gasta e a TT precisa realmente de introduzir novidades, pois trocar o universo do jogo não é suficiente se a jogabilidade e mecânicas de jogo se mantêm as mesmas durante tanto tempo. O humor da série ainda tem piada mas não funciona particularmente bem aqui e acaba por ser salvo pela qualidade das personagens com que a TT trabalhou. Se acompanham a série à muito tempo vão notar muito mais estes problemas, mas se apenas são fãs da Marvel e nunca jogaram um titulo LEGO então vão adorar. Este é sem duvida um dos melhores mas é demasiado sacrificado pela exaustão das mesmas ideias do passado.

9/10

Tiago Roque

Leave A Comment