Análise: Underworld: Blood Wars

Normalmente um filme tem direito a uma sequela quando é bom, mas as vezes consegue-a porque simplesmente vende. Depois de 3 filmes que embora não fossem aquilo que eu consideraria bons, mas que além de criarem uma boa base de fãs são agradáveis de ver, o quarto filme da serie, Awakening foi na minha opinião o pior filme da serie. Com uma história dificil de perceber, que parecia deslocada do resto da serie e depois com piores efeitos especiais do que os do filme original lançado no ano longinquo de 2003.

Aquilo que ganhou fãs e que vende em Underworld é o setting. Simplesmente não há filmes de vampiros e lobisomens, sendo o mais perto que tivemos nos últimos anos aquela coisa medonha de nome Twilight. Por isso apesar de não serem o melhor que o cinema pode oferecer, os filmes da serie têm o seu espaço e são importantes.

A personagem principal, Selene interpretada por Kate Beckinsale está de volta, assim como os dois principais vampiros que Awakening introduziu, David interpretado por Theo James e o seu pai Thomas interpretado por Charles Dance mais conhecido por interpretar o Lorde Tywin Lannister na série Guerra dos Tronos. Depois de se reunir com a filha no final do ultimo filme, em Blood Wars Selene aparece novamente sozinha. Para proteger a filha afastou-se dela, desconhecendo a sua localização atual.

O principal problema de Blood Wars é o mesmo dos anteriores. A história que podia ser simples torna-se elaborada rapidamente, apesar de não precisar. Desde o primeiro filme que uma simples guerra entre imortais se foi perdendo em traições e linhas de sucessão. Esse tipo de historias funcionam em algo como a Guerra dos Tronos porque temos tempo para conhecer as personagens. Em Underworld não me preocupo minimamente com nenhuma das personagens. Além desse problema, as interpretações dos actores também nunca surpreenderam pela positiva. Todas as personagens parecem mais preocupadas em serem “cool” do que em desenvolver uma personalidade. E por fim temos a estética. Apesar de em Blood Wars se verem alguns ambientes diferentes e um guarda roupa um pouco diferente, no geral Underworld anda a imitar o primeiro Matrix desde o primeiro filme.

A primeira coisa que Blood Wars faz bem é separar-se do filme anterior. Alguns dos poucos bons aspectos dos anteriores estão presentes, mas toda a ligação ao mundo dos humanos que simplesmente não funcionou foi posta de lado. Selene está novamente sozinha. Perseguida por vampiros pela traição da morte de Viktor e pelos lycans que procuram o sangue da sua filha híbrida, é com surpresa que recebe a noticia que iria ser bem recebida no abrigo dos vampiros. As traições entre vampiros e os lycans como principal inimigo são elementos que estão de volta e tirando algumas reviravoltas na história este é o que o filme oferece.O principal vilão volta a ser um lycan, interpretado por Tobias Menzies e que consegue ser um vilão bem melhor do que o anterior.

O principal abrigo dos vampiros é um regresso ao ambiente do primeiro filme, mas há alguns ambientes novos, em especial um remoto lugar dos vampiros no meio das montanhas. É aqui que Underworld se volta a perder novamente em devaneios. Em Var Dohr habitam vampiros diferentes dos restantes, com cabelo branco e aparência de elfo, os criadores voltam a misturar elementos de outras criaturas para variar um pouco as coisas. Felizmente esta inclusão está na minha opiniões melhor conseguida que a guerra contra os humanos do filme anterior, apesar de a passagem entre o mundo normal do filme e conhecer os primos da Daenerys Targaeryan poder ser demasiado brusca.

Os efeitos especiais pobres do filme anterior também foram melhorados. Com isto não quero dizer que estão agora ao nível de um filme da Marvel por exemplo, mas estão decentes, não parecendo por exemplo que os lycans e vampiros estão em planos diferentes.

Blood Wars consegue também abrir mais portas para o futuro da série o que acaba por ser bom, pois toda a história dos hibridos está a decorrer sem grandes alterações desde o primeiro filme. Mas com planos para mais filmes e uma série consegue ser surpreende que uma série de filmes sem um fresh no RT por exemplo, consegue durar 13 anos e ainda continuar em força.

Tiago Roque

Leave A Comment