Análise: Razer BlackWidow Chroma V2

Se há uma marca que está associada a hardware gaming e apenas a essa vertente, essa marca é a Razer. O seu próprio smartphone acabado de lançar é focado nessa vertente e um smartphone para gamers é uma venda difícil. Portanto é sem grande surpresa que recebemos o novo BlackWidow que como seria de esperar é simplesmente soberbo para os jogadores.

Começando pelo básico, o BlackWidow é um teclado mecânico que utilizando uma nova geração de switches mecânicos prometia duas coisas, serem mais rápidos e eficazes para os jogadores e serem mais silenciosos. Não consigo dizer com precisão se são melhores ou não nos jogos que testei, apenas posso dizer que a experiência de jogar com um BlackWidow é fantástica. A resposta é imediata e sendo um teclado mecânico não tive grandes problemas de acções que foram detectadas e não deviam e o oposto. Quando se ouve o clique é sempre detada a acção e é só nesse momento que ela é detectada. Ao contrário do teclado da Razer que aqui analisámos anteriormente e que não exactamente mecânico, aqui não existe o problema de acções serem detectadas antes de se ouvir o clique.

No entanto o outro ponto prometido pela Razer não é bem verdade. O novo BlackWidow não é o teclado mecânico mais ruidoso do mercado, mas não é de todo o mais silencioso. Não houve ninguém aqui que não se queixasse do barulho, mas essa é parte da satisfação de utilizar um teclado mecânico. Quem utiliza o teclado apenas para jogar também não irá ter grandes problemas na maioria dos jogos. A maioria do barulho vem de quando se escreve e aí irão certamente ter alguns problemas de barulho, mas no limite é o normal de um qualquer teclado mecânico, nem melhor nem pior.

A construção é simplesmente soberba. Todo o teclado é realmente sólido e a única queima menor que posso ter neste aspecto é nas teclas que podiam um ser pouco mais sólidas ainda. Todos os plásticos são rígidos e mesmo torcendo o teclado nada se mexe nem qualquer barulho sai. É realmente sólido e isso é verdade para tudo o resto. O cabo USB é da grossura de um cabo de corrente quase, protegido com uma malha. A grossura deve-se ao facto de este conter no interior dois cabos USB e um cabo audio. Enquanto que um cabo é o de utilização normal, o segundo é opcional, assim como o cabo audio. O segundo cabo USB permite ligar corrente extra que permite utilizar uma saída USB do lado direito do teclado. O cabo audio opcional tem a mesma função, permitindo utilizar uma saída audio 3.5 no teclado. Nenhuma destas foi realmente útil para mim, mas consigo imaginar alguns cenários onde poderiam ser.

Tratando-se de um teclado Chroma é normal que as opções e efeitos de luzes sejam muitos e isso é verdade aqui. As opções de customização são muitas, mas aquilo onde gostei mais do vi foi ao utilizar jogos compatíveis com os aplicativos Chroma do Synapse. O jogo que mais testei foi Battle Chasers: Nightwar. Ao iniciar um combate há uma pequena animação de luzes no teclado e todas as teclas disponíveis em cada zona estão marcadas. Se estivermos numa zona de exploração por exemplo irão ficar marcadas as teclas de mapa, inventário e quests, enquanto que no combate a escolha é melhor. Existem ainda animações extra para ataques especiais. Alguns jogadores podem não ver grande utilidade nisto e até ser problemático porque as teclas que não essenciais ficam apagadas, mas para mim é realmente útil e ajudou-me a lembrar de alguns atalhos. Por exemplo para verificar as quests que tinha normalmente abria o inventário e depois ia às quests, mas o jogo realçou a tecla directa e passei a utilizar. Em outros jogos onde existem ainda mais teclas, penso que seja realmente interessante e certamente haverá jogos onde o uso desta tecnologia pode ser ainda mais interessante.

Sendo um teclado pensado para jogadores existem ainda cinco teclas customizaveis na lateral. Estas vão de M1 a M5 e o principal problema que tive com elas no inicio foi habituar-me à sua posição. O meu problema não se prendia a aceder a estas teclas, mas sim a não aceder porque simplesmente confundia o CTRL com a M5. Apesar de existir uma separação entre elas, foi realmente complicado para mim habituar-me à existência destas teclas, mas ao fim de 2 ou 3 dias consegui habituar-me ao layout. Outro aspecto que para mim podia fazer a diferença na compra é sem duvida o apoio para o braço que vem incluído.Tal como no teclado que analisámos anteriormente este fica fixo magneticamente e é realmente confortável. O material é bastante agradável ao tacto e realmente aumenta o conforto do jogador. Já tive teclados com apoio para o braço mas com nenhum deles senti um real aumento do conforto, ao contrário deste apoio que a Razer está neste momento a utilizar nos seus teclados.

Não há grandes pontos contra o BlackWidow. É um teclado que vale cada cêntimo gasto mesmo que não cumpra todas as promessas da Razer.

Tiago Roque

Leave A Comment