Análise: Attack of the Bugs

Attack of the Bugs é pura e simplesmente surpreendentemente divertido. O título em si não pode necessariamente contar toda a história a este respeito. Nunca se deve julgar um livro pela capa, o que é especialmente verdadeiro quando se trata de jogos de realidade virtual. Neste jogo em particular, o trabalho do jogador é coleccionar itens e combater ondas de inimigos. Embora isso possa fazer uma experiência bastante repetitiva no papel, é realmente muito divertido assim que se apanha o jeito da jogabilidade, mas não deixa de existir uma considerável curva de dificuldade. Com a excepção de algumas falhas, a jogabilidade de Attack of the Bugs é realmente original e refrescante, mesmo que eliminassemos o facto VR da equação.

A jogabilidade de Attack of the Bugs é bastante simples. Há um gancho de agarrar para pegar caixas do cenário, que muitas vezes contêm itens úteis para mais tarde. A forma de pegar é simples e mais do que tudo, funciona de forma fluída na grande maioria das vezes, algo que parece não deixar de ser um problema em jogos VR. Entre os itens que se pode recolher, estão vários tipos de armas e gadgets. A implantação de soldados de brinquedo para disparar contra os insectos é um um pormenor que não deixa de nos fazer sorrir. É bom ver alguns elementos de um jogo RTS incorporados ao género tornando-o mais dinâmico. O género em que Attack of the Bugs se enquadra tem tendência a tornar-se demasiado estático e assim que se descobrem padrões torna-se demasiado monótono, mas com alguns elementos RTS isso muda. Existe até uma opção para criar itens, incluindo granadas, tropas de campo e até mesmo um lança-chamas. Attack of the Bugs oferece uma boa variedade, embora ainda possa ser repetitivo durante as sessões de reprodução prolongada. Tudo depende de quanto se gosta desses aspectos e se o jogador está ou não disposto a experimentar um pouco.

Com apenas 15 níveis para jogar e quatro mapas diferentes para explorar, os jogadores conseguem uma boa quantidade de conteúdo ao comprar Attack of the Bugs, mas não deixa de ser um jogo curto. Concluir o jogo levará apenas algumas horas, dependendo de como se joga e se o jogaodor reproduz ou não níveis para experimentar diferentes itens. A curva de dificuldade neste jogo aumentará rapidamente e não se pode julgar a dificuldade por aquilo que os níveis iniciais no mostram, pois não é um jogo fácil. Começa muito simples, mas irão encontrar-se rapidamente em mãos lençóis não forem cuidadosos. O jogo apenas clica por nós e oferece conteúdo suficiente para nos manter comprometidos quando não há mais nada para jogar, mas não vai mais além do que isso, algo que outros aspectos do jogo prometiam.

Tiago Roque

Leave A Comment