Análise: Fighting Fantasy Legends

Fighting Fantasy Legends traz muito conteúdo num grande e único pacote, pegando na fórmula Fighting Fantasy e aplicá-la ao jogo não é novo, mas nunca foi apresentada exactamente desta forma. Tirando inspiração de livros de jogo, este não é um jogo fácil por qualquer medida. Mesmo na menor dificuldade o jogo desmotiva-nos com a quantidade de vezes que nos mata e obriga a repetir zonas. Quase todo o funcionamento do jogo se resume ao lançamento de dados.. Os dados são de um de dois tipos, vigor ou sorte e precisamos de muitos dos dois. Cada dado só começa com uma das seis faces como sucesso, mas essa quantidade vai melhorando à medida que o jogador vai evoluindo, no entanto podemos ficar com alguns dados amaldiçoados em alguns momentos do jogo. Estes podem ser curados, mas podemos não ter ouro, itens ou outra qualquer coisa para os curar gratuitamente e isso pode simplesmente significar que nos estamos cada vez a afundar mais e mais e temos de recomeçar tudo de novo.

No entanto, não é tudo complicado. Assim que começamos a entender o balanço das coisas e não corrermos riscos desnecessários, podemos subir de nível o suficiente para ser considerados poderosos. Isso significa que começamos a eliminar monstros em um ataque, o que normalmente significa não sofrer qualquer dano. As três missões principais correspondem vagamente aos livros de origem, mas, além de fazê-lo entrar na Cidade dos Ladrões para obter o primeiro conjunto de quests, somos mais ou menos livres para fazer as coisas em qualquer ordem que quisermos. Existe um fio condutor e é relativamente fácil continuar a história principal sempre que quisermos, no entanto existem momentos em que me senti um pouco confuso e só depois de percorrer as mesmas áreas uma e outra vez é que encontrei o caminho certo.

A outra coisa que me incomodou é que não só precisamos fazer isso por itens de missão, mas sentimos que tive que refazer níveis puramente para obter XP extra e subir de nível porque me sentia demasiado fraco para avançar. Sentir-se fraco não é necessariamente o problema, mas precisa ser poderoso o suficiente para matar os inimigos mais fortes sem ser completamente destroçado primeiro. Perder um ponto de sucesso ou dois não é o fim do mundo, acontecer isso constantemente é o suficiente para tornar tudo impossível. O que realmente se destacou com o avançar através das áreas, é a abundância de eventos aleatórios. Isso pode ser qualquer coisa como uma luta contra vagabundos para eventos mais temáticos, dependendo da área, mas estes tornam cada repetição mais interessante e até encontrar o mesmo evento não acontece com tanta frequência que se torna tedioso. Os

Não é surpreendente que o jogo seja bem escrito considerando o material de origem e é sem duvida uma forma bem mais divertida e interactiva.

Tiago Roque

Leave A Comment