Análise: Dead by Daylight: SAW

Dead by Daylight foi dos jogos mais inovadores que tive a oportunidade de jogar no ano anterior, apesar de não ser sequer um conceito novo ou ser o único do seu género, simplesmente foi dos primeiros a conseguir oferecer uma experiência realmente boa, apesar de sofrer do mesmo problema dos jogos do género, ser assassino é bastante mais interessante do que ser sobrevivente. Dead By Daylight consegue oferecer um sistema que adiciona estratégia a toda a fórmula já utilizada por outros jogos. Com habilidades tanto para assassino como para os sobreviventes que fazem com que cada partida seja diferente com base no nível de experiência dos participantes. Os DLCs no entanto não têm sido aquilo que eu chamaria obrigatórios. Todos eles têm sido interessantes mas nenhum deles transforma o jogo e traz algo que eu classifique como realmente obrigatório.

Como na grande maioria do conteúdo de Dead by Daylight convém conhecer as franquias onde ele vai buscar inspiração ou são simplesmente licenciadas. Não que isso traga alguma vantagem a jogar mas simplesmente tornam a experiência muito mais gratificante. O mesmo acontece agora com SAW, a série de filmes que conta com quase uma dezena de filmes. A personagem que talvez mais pessoas conheçam de SAW é o porco, os que conhecerem irão saber do que falo. O Porco é provavelmente um dos assassinos mais exclusivos a serem adicionados ao jogo, pois ela pode silenciar a sua aura de terror enquanto se agacha. Nenhum dos outros assassinos se pode agachar, então ela obtém uma vantagem distinta ao caçar os sobreviventes. A sua arma é uma lâmina escondida que ela usa para cortar e ferir. Ela tem um ataque de emboscada que pode usar na posição agachada para surpreender a sua presa. Mas o que realmente a distingue é seu uso das infames armadilhas. Dados em quantidade limitada em cada partida, as armadilhas são colocadas na cabeça do sobrevivente quando estão perto da morte. As armadilhas só começam o temporizador quando o primeiro dos motores é fixado. Eles tropeçam automaticamente uma vez que um sobrevivente escapa, o que dá ao Porco mais tempo para caçar. Para conseguirem retirar a armadilha, eles têm que ir até a uma gaiola que tem chaves e uma boneca Jigsaw. É claro que ir buscar a chave leva tempo e faz barulho, o que mais uma vez dá ao Porco mais tempo para eliminar todos os sobreviventes.


Aqueles que leram as minhas análises a jogos deste género sabem e conhecem a minha preferência em jogar como assassino mas existe também conteúdo no do lado dos sobrevivente, o detetive David Tapp. Enquanto a imagem graficamente não está lá, o conceito de Detective Tapp como obcecado com o assassino SAW é retratado através dos benefícios dados pela Bloodweb. O privilégio Tenacity permite que ele rasteje no chão mais rápido. Isso pode ajudá-lo a escapar do assassino se ele se distrair. O detetive Hunch permite que ao jogador ver geradores, totens e baús por alguns segundos no mapa durante 5 segundos. Pode não parecer mas esta é habilidade realmente útil pois ajuda-nos a poupar um pouco de tempo para localizar os totens que tornam o assassino mais forte e mais difícil de escapar.

SAW não é novamente um DLC que eu diria ser obrigatório, mas se gostam de SAW e principalmente continuam a jogar Dead by Daylight com frequência este é uma boa adição ao jogo.

Tiago Roque

Leave A Comment