Análise: Kings And Heroes

Kings And Heroes é um RPG de ação on-line de fantasia da Industry Games que promete ser pelo menos melhor que a enorme quantidade de jogos do género que são free-to-play. O mercado está inundado de jogos do género e é com bons olhos que vejo algo que ofereça pelo menos um modelo de negócio mais simples, pagando um valor do inicio e deitando as microtransações para o lixo. Olhando para os screenshots na página da Steam Kings and Heroes aparenta ser promissor, aparentando ser uma mistura do combate de Elder Scrolls e um comum MMORPG, mas assim que começamos a jogar essas esperanças começam a desmoronar-se. Assim que se entra no mundo de Sundaria, somos saudados pela tradicional interface de usuário estilo MMO com barras de habilidade na parte inferior, uma bússola no topo e um minimapa no canto inferior direito. Depois de anos de existência do género surge uma duvida, ou o género não evoluiu ou alguém não fez o trabalho de casa. A escolha certa é a segunda.

O sentimento que fica de Kings and Heroes mal começamos a jogar é a familiaridade que se sente mal se começa a jogar. Mas quem pensa que Kings And Heroes se fica pela interface no que diz respeito a retirar tudo o que de bom se fez na década passada no género, logo na primeira quest percebemos que a Industry Games foi mais longe na sua demanda de inspiração. Ao contrário dos mais recentes jogos do género para mobile que incluem até uma opção de auto run que faz com que a personagem corra até ao sitio certo, Kings And Heroes vai na direção oposta e nem sequer nos mostra onde é a quest. Em tempos assumo que achei que era algo que faltava aos MMOs actuais, mas a realidade é que se a personagem sabe onde é o sitio, eu como jogador também devia saber e a forma correcta de implementar isso é marcar no mapa exactamente a zona para onde eu tenho de ir.

Enquanto se viaja através das quests de tutorial, o jogo apresenta os sistemas de combate, crafting e dungeon. O combate tem mais em comum com os títulos de RPG de ação de hoje, eliminando a capacidade de bloquear e bloquear habilidades, substituindo-o por um sistema de execução totalmente baseado em habilidade. Há várias opções durante a criação do personagem, cada uma com seu próprio arsenal de habilidades e papéis no jogo do grupo. Apesar de tudo o jogo é realmente interessante neste aspecto e se a execução fosse melhor ou um patch tivesse assegurado por esta altura que a execução é forte então Kings And Heroes tinha algo em que podia realmente orgulhar-se.

Antes de chegar ao primeiro calabouço, Kings And Heroes é um MMO bastante tradicional com combate focado na ação direta. Os objectivos de busca tradicionalmente aborrecidos e sem imaginação estão todos lá. Mas assim que entramos na primeira dungeon ele faz com que todas as missões pareçam uma atividade secundária, uma reflexão tardia, uma atividade desnecessária que deve ser ignorada em favor da exploração dessas masmorras perigosas e muito recompensadoras. Cada masmorra é gerada aleatoriamente a cada vez, usando um conjunto específico de peças para aquela masmorra em particular. Embora isso não forneça nenhum momento de admiração em termos de design, ele mantém cada masmorra excepcionalmente desafiadora.

Neste ponto, o jogo transita de um MMO para uma uma espécie de dungeon crawler na primeira pessoa.  Obter pequenas melhorias de atributos e habilidades após cada masmorra garante que o jogador seja recompensado e esteja progredindo a um bom ritmo, mas é a estética do equipamento que realmente impressiona. As armas e armaduras parecem fantásticas, pois há muito pouca recoloração e muita quantidade de modelagem diferente.

Infelizmente e devido ao vários problemas que podemos ler sobre o lançamento do jogo encontrar um grupo para as masmorras pode ser difícil, especialmente se não se jogar nos horários de pico. Kings And Heroes acaba talvez por sofrer em excesso com os seus erros do passado mas principalmente sofre de uma falta de foco. O jogo oferece quase que dois jogos dentro do mesmo. Por um lado o jogo é um MMO tão tradicional e aborrecido como centenas de outros e por outro oferece um combate e sistema de dungeons realmente interessante.

Há muito para gostar aqui, mas é preciso entrar em Kings And Heroes com as expectativas certas e tirar partido dos seus pontos fortes, ao mesmo tempo que se aturam os fracos e isso pode não ser para todos.

Tiago Roque

Leave A Comment