Análise: Monster Prom

Um bom jogo indie tem normalmente um conceito que o leva mais longe. O conceito é aliás o mais importante porque o orçamento não permite o polimento que um grande estúdio pode facilmente alcançar. Quando o conceito se alia a um  execução sólida então temos algo realmente especial. Monster Prom é um destes jogos onde o conceito e execução estão quase ao mesmo nível.

Algum dia pensaram que seria possível um jogo de simulação de encontros multijogador fosse possível? E que tal um jogo de encontros de monstros numa escola secundária para monstros, onde o objectivo é conseguir levar alguém para o baile de finalistas? Se sim então estão com sorte, Monster Prom é ambas as coisas.

Em Monster Prom o jogador começa por escolher uma personagem e responder a um questionário. Depois disso terá de ocupar os dias até ao baile a escolher uma das várias localizações da escola para passar o dia e alternadamente escolher onde se sentar à hora de almoço. Em cada uma destas escolhas podemos conseguir ganhar pontos das várias estatísticas do jogo que vão ser determinantes no final. Conhecer as várias personagens do jogo começa por ser determinante, mas o jogo acaba por pecar em termos de variedade e começa a ser uma questão de decorar as situações do jogo porque estas acabam por se repetir constantemente. Mas no fundo é tudo uma questão de escolher uma opção mais aventureira se quisermos ganhar pontos com uma personagem com essa personalidade e vice versa, apesar de nem sempre correr bem.

O jogo vai avançando durante as três semanas a um ritmo rápido, sendo o normal de um jogo completo durar menos de meia hora quando jogado a solo. No final temos de escolher uma personagem para convidar para o baile e depois ver o final que conseguimos, existindo uma boa quantidade de finais para explorar. É esse aliás o maior atractivo do jogo, descobrir todos os finais. Outro aspecto soberbo do jogo é a escrita. O humor é fenomenal e a escrita sólida, apesar de ter um publico alvo em mente.

Visualmente Monster Prom vive sobretudo de um bom design. O grafismo é básico e baseia-se simplesmente em bons desenhos mas sem grande animação. Mas no que toca ao desenho em si Monster Prom é um jogo forte com um estilo de arte moderno que parece ser tirado de fanart do Tumblr e apesar de não agradar a toda a gente, é um estilo agradável e que funciona na temática do jogo.

No que toca ao multiplayer podemos jogar com outros jogadores no mesmo ecrã ou através de uma ligação directa a outros jogadores, não existindo nenhum lobby para encontrar jogadores. Na minha opinião o jogo acaba por perder com essa decisão, mas também tenho a certeza de que o jogador funciona melhor com multiplayer local. O jogo em si pouco ou nada muda mas a diversão que proporciona apenas aumenta em multijogador.

Tiago Roque

Leave A Comment