Análise: Tomb Towers

A nossa visão do mundos das 8bit é turva devido à nostalgia. Isto não quer dizer que os jogos clássicos dessa era não sejam realmente bons, apenas que excepto óbvias excepções como Super Mario Bros ou Zelda, a grande maioria dos jogos que nos lembramos apenas são bons na nossa memória. Tomb Towers é um jogo de puzzles que o leva o jogador a explorar salas em várias torres, procurando um maligno Necromante, com a esperança de encontrá-lo e levá-lo ao rei. A jogabilidade é bastante simples e o jogador tem apenas de mover-se de sala em sala, explorando cada nível para recolher moedas e chaves para avançar para a próxima sala, sendo tudo no jogo bastante básico.

Cada área tem certos obstáculos e puzzles para o jogador resolver para sair e entrar na sala ao lado. Infelizmente, a maioria não é difícil de passar. Quando se morre começamos no início da sala e com cada jogo temos de começar de volta no início da torre actual. O problema é que uma vez que se morre e volta, tudo o que já foi realizado permanece completo mas o jogo obriga-nos a refazer a sala. Com poucos obstáculos em cada sala desde o início isto significa que sempre que morremos temos de atravessar salas vazias até chegar onde queremos, uma tarefa completamente inútil.

A repetição das salas vazias de inimigos ou tesouros realmente quebra a experiência e torna que seja mais fácil morrer ao entrar numa sala com inimigos e obstáculos, simplesmente porque temos de apenas voltar ao ponto em que morremos. Qualquer coisa colectada ou morta estará ausente nessas situações, mas obstáculos físicos como o fogo ainda precisarão ser evitados para seguir em frente.

Tomb Towers é um jogo fundamentalmente sólido, mas não é divertido. Os controlos são bons mais não há muito para errar e o jogador nunca sente que morreu por causa do jogo em si, que é definitivamente um aspecto positivo. O jogador pode aumentar a velocidade do jogo quando sente que a velocidade normal já não é um desafio mas novamente o jogo sabe a pouco, especialmente quando comparado com os melhores exemplos do género. Tomb Towers parece um jogo feito há décadas atrás, numa altura mais simples e talvez aí fosse um sucesso. O jogo não dá uma sensação nostálgica, apenas parece ter mais de 30 anos. É um jogo que se tivesse sido lançado na NES não seria um clássico e isso por si já diz muito. Se não consegue competir com jogos mais mais de 25 anos o que é pode realmente oferecer num mundo com Uncharted, Gears of War, Super Meat Boy e todo um rol de excelentes jogos modernos?

Tiago Roque

Leave A Comment