Análise: LEGO Marvel Super Heroes 2

Lego Marvel Super Heroes 2 continua vagamente os eventos do Lego Marvel Super Heroes original, mas tal como qualquer jogo LEGO não existe um enredo complexo que nos obrigue realmente a ter atenção a todos os pormenores, apesar da história deste jogo ser surpreendentemente elaborada com muitos elementos da saga Guerras Secretas. Kang, o Conquistador usa os poderes da Pedra Infinita do Tempo, que lhe permite reunir forças de todo o multiverso da Marvel e combina uma série de pontos de referência físicos numa  megacidade, Chronopolis, o mundo aberto do jogo.

Chronopolis, como o nome implica, é composta de diferentes zonas tiradas de diferentes épocas ou lugares no universo Marvel. Há Manhattan etambém o futuro e o passado de Manhattan, uma versão de Asgard ,Hala e Attilan bem como alguns outros locais da Marvel. Se até gostarem de jogos da LEGO e forem grandes fãs da Marvel este é um jogo carregado de referências a este universo. Cada área é pequena, mas bem diferenciada em estilo e missões. Na zona da Hidra, os cidadãos exaltam o Caveira Vermelha e não parecem muito perturbados em viver sob outro soberano ligeiramente diferentepor exemplo. Cada área tem uma aura própria e são recriações realmente fantásticas.

À medida que o enredo principal se desenrola, Vingadores e aliados de todo o multiverso reúnem as suas forças para encontrar os fragmentos do Nexus, para abrir um portal, pedir ajuda, encontrar outros aliados e, eventualmente, montar um ataque à cidadela de Kang. Os fragmentos do Nexus estão espalhados por toda a cidade de Chronopolis, e cada um deles foi capturado por um supervilão que se alia a Kang ou que planeja tomar o trono de Kang e depois esmagar os Vingadores. A premissa do jogo aliado a um jogo “normal” com um orçamento grande é no fundo um sonho de todos os fãs da Marvel e que um dia irá ser realidade.

A escrita de personagens é realmente boa e tem sucesso e qualidade mais frequentemente do que a falta desta. Há piadas realmente boas e o humor é um dos melhores da já longa série de jogos da LEGO. Ao contrário do jogo original LEGO Marvel Super Heroes, a sequelanão conta com os X-Men, com os guardiões e inumanos ocupar o centro da ação. Felizmente, as novos personagens principais são mais do que suficientes. Kamala Khan, como a Sra. Marvel, oferece um papel de boas-vindas aos tipos de super-heróis mais cósmicos e Spider-Gwen emprestam uma lista de nomes de adolescentes que fazem parte da nova geração de heróis.

Aquilo que mais desilude sobre LEGO  Marvel Super Heroes 2 é que ainda é um jogo LEGO. Com todas as qualidades que referi é uma pena que a jogabilidade e progressão ainda estejam limitadas a uma framework que já está datada. Em redor de Chronopolis o jogador tem a missão habitual  de jogos de mundo aberto, procurar missões, seguir missões e algumas corridas. Enquanto o mundo de Chronopolis é cheio de personagens escondidas e alguns logs de missões bem escritos, a jogabilidade real parece antiquada. Apesar de gostar bastante destes jogos a verdade é que ao fim de tantos a formula começa a saturar aqueles que mais jogaram estes jogos.

Missões de história envolvem esmagamento dos botões de ataque até que todo inimigo de plástico se separe, causar estragos na área até reunir todos os blocos LEGO e no final, há um boss. Não existe qualquer tipo de variação desta fórmula. Controles desajeitados e uma câmara que nunca parece saber onde o jogador quer ir também não ajudam. Voar e mergulhar são particularmente afectados por isto e há muito voo e natação. Ambos raramente inspiram alegria, excepto por alguns momentos fugazes de planar acima de Cronópolis e não ter que ir a lugar algum em particular.

Apesar do serviço aos fãs o jogo não cresce por ter todas estas personagens diferentes. Quando o jogador as controla a verdade é que a jogabilidade em nada é afectada e a maior parte das personagens com habilidades que se podiam colocar na mesma categoria são essencialmente iguais em termos de jogabilidade.  Os espaços específicos criados para as missões da história parecem igualmente sem brilho, muitas vezes introduzindo variantes de puzzles sem qualquer aviso ou explicação. Mas uma coisa em que o jogo é soberbo é que não há falta de conteúdo. Depois de acabar a história principal ainda restam pelo menos 60% do jogo para descorbir. O jogo conta com centenas de personagens jogáveis e outra quantidade enorme de extras.

LEGO Marvel Super Heroes 2 é um excelente jogo LEGO e carregado de conteúdo para fãs da Marvel. No entanto continua enclausurado em mecânicas de jogo datadas.

Tiago Roque

Leave A Comment