Análise: Warhammer Vermintide 2

A maior parte dos jogadores associa Warhammer aos RTS que marcaram a saga no PC, no entanto Warhammer é muito mais do que isso, muito mais mesmo, sendo neste momento uma propriedade capaz de rivalizar até com Star Wars em termos de media em que é adaptado. Maior parte destes trabalhos estão na era 40k, como Space Marine ou Dawn of War, no entanto a Fatshark provou que outras eras de Warhammer poderiam produzir títulos fantásticos com Warhammer: End Times – Vermintide e agora  voltou com uma sequela maior e melhor que o original

Os gráficos em Vermintide 2 são fantásticos e o trabalho na criação de modelos e textura é de primeira qualidade e variado e é ainda mais impressionante quando essa boa modelagem é feita junto com a enorme quantidade de modelos inimigos que podem ser renderizados no ecrã. Além do aspecto geral ser muito bom, aquilo que faz com que essa qualidade se destaque é o design. Dos modelos dos jogadores ao design dos inimigos e das armas, a variedade acompanha a qualidade e o resultado final é simplesmente vibrante e caótico no campo de batalha e apenas consegue chegar a este patamar graças à iluminação do jogo que é também do melhor que a tecnologia actual permite.

A história é o aspecto mais fraco do jogo, mas não significa que seja má de todo. O jogo passa-se no final dos tempos, numa era apocalíptica na história de Warhammer, um setting razoável mas a história é, infelizmente, um pouco simples. A história é mais predominante no início do jogo pois o resto desenrola-se durante os monólogos pré-missão, que fazem um bom trabalho em dar aos jogadores os objetivos mas um trabalho fraco em termos narrativos. As personagens por outro lado são boas, com diálogos e personalidades bastante boas, e os relacionamentos entre os heróis jogáveis ​​são mostrados através de boas linhas de diálogo.

A jogabilidade do jogo tem pontos em comum com Left 4 Dead, especialmente no aspecto geral em que é um jogo coop até quatro jogadores, onde o objetivo principal é chegar ao final de um nível. No entanto, Vermintide 2 tem muito de apenas si próprio e enquanto Left 4 Dead 2 introduziu combates corpo-a-corpo, Vermintide 2 torna-o o foco principal do combate, aprofundando o combate e afastando a ênfase das armas de fogo. O combate corpo-a-corpo é mais profundo do que simplesmente apertar  o gatilho, já é preciso bloquear os ataques dos inimigos, o que drena a energia, criando uma jogabilidade com bastante profundidade.  As armas de fogo são uma óptima arma de recurso mas graças a uma baixa cadencia de tiro são pouco mais do que isso.

A variedade também se estende aos inimigos. Há mais aqui do que apenas suas simples inimigos sem rosto. Há muitos inimigos diferentes que entram no combate ao longo do tempo. Há também personagens de mini-bosses que podem realmente atrapalhar a nossa equipa se não tivermos cuidado, mas a variedade em si tem o mesmo efeito porque nunca sentimos que sabemos exactamente o que nos vai aparecer a seguir. Cada ato também é marcado por uma batalha de boss com um personagem muito poderoso. A IA forte significa que o jogo é muito divertido, mesmo que a solo. O jogo também tem muito conteúdo, havendo  3 atos com 4 missões cada e um 4º ato com 1 missão e uma longa missão de prólogo. Todas as missões são de tamanho decente o que significa que o jogo em si dura bastante horas e tem muito incentivo a replay. Existem 4 níveis de dificuldade para escolher, e as diferenças entre os níveis são bastante perceptíveis.

Completar uma missão dá ao jogador um saque em forma de baús que nos dão equipamentos aleatórios que se adaptam à nossa classificação. Quanto maior a  classificação e dificuldade, maior a velocidade que se tem a chance de conseguir melhores baús. O equipamento e a progressão em geral são óptimos para incentivar a repetibilidade, já que o jogador vai querer procurar missões mais difíceis.  Existem alguns problemas também, especialmente um ou dois problemas técnicos e a jogabilidade mesmo que excelente tende a se tornar repetitiva com o tempo. O áudio  é muito sólido, desde a música até às vozes  com os personagens com os  seus sotaques e linhas de diálogo  muito naturais.

Warhammer: Vermintide 2 é um jogo fantástico de várias maneiras, com grafismo soberbo e uma jogabilidade sólida que irá satisfazer todos os jogadores.

Tiago Roque

Leave A Comment