Análise: Robbotto

RobbOtto é uma pequena cópia de jogos clássicos como Bubble Bubble. A simplicidade do áudio e dos visuais do jogo, bem como a sua simples mecânica de jogo, disfarçam a experiência viciante que se pode encontrar aqui. A jogabilidade consegue ser bastante distinta assim como inovar no conceito, no entanto, continua a ser um jogo que se assemelha a algo que se poderia jogar na NES.

Se gostam de terminar um jogo e de o encostar na prateleira então irão encontrar muito valor em Robbotto. No entanto, se forem fãs de jogos como  Bubble Bobble quer seja a jogar sozinho ou acompanhados então irão adorar Robbotto. RobbOtto é um jogo no mesmo estilo da série Bubble Bobble, mas para aqueles que não jogaram esses jogos,o jogo resume-se em níveis com desafios com câmara fixa em que temos de eliminar todos os inimigos e coletar máximo de recompensas por pontos quanto possível. Para quem sabe do que estou a falar há muito pouco para dizer. Não há realmente muito a separar esse clássico deste Robbotto além dos aspectos mais artísticos.

As suas diferenças mais básicas da jogabilidade, são no aspecto mais simples da jogabilidade de Bubble Bubble em que o jogador tinha que capturar inimigos em bolhas e colocá-los em grupos para pontos mais altos, enquanto que RobbOtto escolhe atordoar e borrifar água em outros robôs, e os níveis permitem que o jogador faça um loop ao redor deles. O tempo ainda é um fator a ser considerado para pontos extras, mas também o local onde o jogador pode causar curto-circuito a esses robôs é outra questão, pois os resíduos de energia não aumentam até que todos os robôs estejam obsoletos, o que pode tornar certos níveis difíceis.

Ao contrário de Bubble Bobble, que tinha cerca de onze inimigos com diferenças limitadas, RobbOtto apresenta dezenas de dúzias de variantes robóticas, além de dez encontros distintos com bosses. Alguns robôs são modificações de cães, como os cachorros com aparência de caixa de correio  e o desafio de cada nível normalmente vem da sobreposição de várias configurações diferentes, no entanto às vezes essas configurações podem criar resultados imprevisíveis, mas isso impede que os mesmos níveis sejam muito semelhantes. O jogo em si acaba por se tornar um pouco repetitivo e a vontade de prosseguir no meu caso vinha mais de ver os inimigos que vinham a seguir e a de acabar o jogo.

Nem todos os jogos precisam de ser revolucionários e no caso de RobbOtto, este acaba por ser um sucesso no que faz. Não posso criticar um jogo que é exactamente o que quer ser. Porque quer realmente ser um clone relativamente mais moderno de Bubble Bubble é outra questão e pessoalmente não consigo encontrar grandes razões para a existencia de Robbotto mas acredito que exista um público para este jogo.

Tiago Roque

Leave A Comment