Análise: LEGO The Incredibles

LEGO The Incredibles  é a adaptação LEGO do novo filme da Pixar, The Incredibles 2, que acompanha a família Parr e que traz consigo uma dose de nostálgia considerável dado o tempo que passou entre os dois filmes. Na realidade quase que podíamos dizer que este é um jogo para os adultos já que se passaram 14 anos entre os dois filmes.

Estes super-heróis da Pixar encaixam perfeitamente na fórmula LEGO, pelo menos tão bem como os da DC e da Marvel que já fazem parte do catálogo da LEGO e se já jogaram qualquer outro jogo de LEGO, já sabem o que esperar deste, um simples jogo de plataformas de ação, com interruptores e alavancas que devem ser ativadas por habilidades das personagens e muitos objectos para partir e outros para montar.

Neste LEGO The Incredibles nada muda muito quando se trata da fórmula central de LEGO, embora as personagens definitivamente consigam usar as suas habilidades de algumas maneiras diferentes que trazem alguns elementos frescos a estes jogos. Elastigirl pode-se esticar para fazer uma ponte entre plataformas e esticar-se através de aberturas de ventilação e outros espaços pequenos para abrir novos caminhos.

Como em qualquer jogo LEGO o leque de personagens é considerável e podemos contar com personagens como Voyd que pode abrir portais o e teleportar-se para novas plataformas, Helectrix pode carregar geradores e outras máquinas elétricas entre outros. Como é óbvio todos os membros da família estão presentes mas a quantidade de personagens fora das principais é considerável e também são as mais interessantes porque são novas aos fã dos filmes.

O jogo é realmente simples e linear  mas este é um jogo voltado para um público mais jovem e não oferece nada em termos de desafio para alguém mais adulto, no entanto em coop acaba por sempre divertido. Mas mesmo com essa dose de diversão extra quando jogado em coop este jogo tal como todos os da LEGO acaba por se limitar a um combate sem profundidade e mecânicas de puzzle um pouco cansadas e repetitivas.

LEGO The Incredibles 2 oferece uma visão surpreendentemente profunda do enredo do filme também – talvez assista isso antes de jogar se você estiver preocupado com spoilers! O conto sobre o retorno dos supers, os novos vilões e as novas complicações que a época trará são vistos, e é claro que o senso de humor clássico de LEGO misturado com alta qualidade de atuação e design de voz da Pixar, cria algumas cutscenes maravilhosas, cheias com charme e humor.

Há muito para gostar nesse jogo, mas, infelizmente o jogo sofre exactamente dos mesmos problemas que outros jogos LEGO, a simplicidade na jogabilidade e o design de níveis é francamente entediante e repetitivo. Outra reclamação, menor, é que o jogo não é visualmente tão bom quanto os outros jogos da LEGO. Felizmente a linearidade nas missões principais é compensada pelo pequeno mundo aberto, que oferece uma boa dose de exploração e dá aos jogador missões secundárias simples mas divertidas, alguns combates com vilões, e veículos da população para conduzir. O mundo aberto não é  necessário, mas foi é boa distração da estrutura repetitiva do jogo e os jogadores mais jovens irão gostar.

Tiago Roque

Leave A Comment