Análise: Semblance

Se existe um género que é dominado por jogos indie é o dos platformers 2D e a Nyamakop Studio é um desses grupos de criadores que usa a sua criatividade neste género que o publico continua a adorar.  Semblance é um jogo de puzzles e de plataformas minimalista com mecânicas de jogo brilhantemente acompanhadas por um mundo tranquilo e sereno. O jogo inspira-se em muitos títulos de plataformas do passado, mas realmente traz uma visão nova ao gênero.

O design dos níveis de Semblance é excelente com os criadores a darem ao jogador  um conjunto de ferramentas necessários para resolver cada puzzle sem nunca o encherem de informação inutil. O jogo não segura a mão do jogador enquanto se aprendem os sistemas que trabalham em conjunto para forçá-los a resolver diversos problemas lançados contra ele. Existe um pequeno tutorial no primeiro nível mas o jogo é bastante simples e o jogador consegue perceber os seus sistemas rapidamente.

O jogo pede aos jogadores para reunir todas as esferas cor-de-rosa para completar o mundo, mas podem fazê-lo na ordem que quiserem. O jogo não é propriamente dificil mas esta abordagem ajuda os jogadores que encontrem um nível mais complicado poderem continuar o jogo e voltem depois mais tarde com uma mente fresca a tentar estes níveis. Os três primeiros mundos são uma série de puzzles que introduzem novas mecânicas de jogo, enquanto o quarto e último mundo os une num verdadeiro teste.

O jogo não conta com diálogo e o protagonista é um herói sem voz.  Squish é capaz de correr como um movimento especial e também pode moldar o nível em torno dele. No início, a deformação dos níveis concentra-se em fazer uma plataforma mais alta ou montar uma parede. A jornada de Squish fica cada vez mais complicada enquanto ele navega por três florestas. Cada mundo introduz uma nova mecânica de jogo e passado pouco tempo temos lasers estrategicamente posicionados que redefinem as deformações por exemplo. Outra característica interessante da jogabilidade é a habilidade de Squish de esmagar objetos duros para mudar sua forma, o que é utilizado de formas bastante inteligentes nos puzzles do jogo.

Muitos grandes jogos de puzzles têm que ser frustrantes às vezes, e Semblance faz exatamente isso. Existem momentos em que é normal simplesmente não conseguir avançar e saímos do jogo apenas para voltar passado algum tempo e resolver tudo facilmente. São esses momentos eureka que fazem da Semblance uma excelente experiência de jogo. Mas o jogo tem mais do que puzzles, tem também uma abordagem especial aos jogos de plataforma e uma direção de arte e música  bastante interessante.

Tiago Roque

Leave A Comment