Antevisão: Golftopia

Ocasionalmente o número de jogos é tanto que ou confundo os nomes ou simplesmente olho para o que tenho pendente e pego num. Quando peguei em Golftopia estava realmente à espera de mais um jogo de golfe e foi com uma grande surpresa que vi que Golftopia era um jogo de simulação e gestão de um campo de golfe ao estilo de RollerCoaster Tycoon ou Theme Hospital. Golftopia encontra-se neste momento em Early Access na Steam e o seu estado é um misto de avançado e rudimentar dependendo da área. Enquanto que as áreas da jogabilidade parecem estar muito avançadas ou até perto de completas, as áreas que dizem respeito a som, tutoriais e UI estão ainda muito rudimentares e precisam de muito trabalho ainda.

Não há praticamente nenhum género de jogos que nos faça perder horas e horas sem pausas como o de simulação. Jogos como SimCity são verdadeiros poços de tempo e facilmente começamos um jogo depois de jantar a uma sexta-feira e quando damos conta é segunda-feira de manhã. Golftopia enquadra-se neste tipo de jogo e mesmo no estado atual fiquei simplesmente colado aos sistemas do jogo. Golftopia não tem qualquer tipo de campanha neste momento e pessoalmente fico completamente satisfeito com o modo sandbox que temos neste momento. Mesmo quem não gosta propriamente de golfe irá adorar gerir um parque de golfe futurista.

Visualmente Golftopia não é perfeito. Comparado com outros jogos do género aguenta-se no mesmo patamar mas não é extremamente bonito de se olhar. A inspiração visual é scifi, num género semelhante a Futurama com muito neon espalhado por toda a ilha do jogo.  Um dos aspetos visuais de que não posso falar muito bem é a UI do jogo. Não sei se os criadores irão continuar no registo atual mas não foi algo que me tenha impressionado, tendo um aspeto algo datado e standard e icons dos quais não gostei propriamente. O jogo tem tooltips em todos os botões e no geral é facil perceber o que cada um faz, no entanto não considero o aspeto muito apelativo.

Como já referi neste momento apenas temos um modo sandbox em Golftopia. Penso que a falta de um modo campanha irá afastar muitos jogadores, no entanto é mais do que suficiente para mim e para retirar uma opinião sobre o funcionamento do jogo. SimCity nunca precisou de mais do que um modo sandbox para obter sucesso e não me parece que também seja preciso mais em Golftopia. Começamos com uma ilha gerada aleatoriamente e dividida em zonas. Começamos por uma zona onde colocamos o nosso clube e espalhamos os buracos e infraesturas necessárias para obter lucro e depois expandir para outras zonas da ilha.

Como em todos os jogos deste género precisamos de manter as pessoas felizes e isso implica criar “buracos” em que elas gostem de jogar. Começamos por colocar um tee e o buraco correspondente e depois afinamos todo o percurso, colocando o tipo de relva do terreno, colocamos buracos de areia ou lama e outros itens mais ligados ao scifi do jogo como arcos e portais que dão um boost de “felicidade” quando um jogador consegue passar um destes com uma tacada. As ferramentas do jogo são realmente intuitivas e fáceis de utilizar. Podemos elevar e baixar terreno e basicamente terraformar toda a ilha para criar o campo de golfe dos nossos sonhos.

À medida que vamos colocando tudo isto temos de começar a pensar em outros pormenores. O lucro é bastante fácil de obter, pelo menos nesta versão do jogo não tive qualquer problema com falta de dinheiro, no entanto há muita coisa com que temos de nos preocupar quando começamos a ter muitos circuitos. No início apenas podemos ter 3 “tees” mas ao melhorar o idifício principal podemos adicionar mais. Quando começamos a ter vários para gerir temos que garantir por exemplo que não existe muito perigo de os jogadores de um “tee” acertarem com as bolas em outros jogadores. Também convém não termos um buraco muito difícil a seguir a um ou dois fáceis já que isto faz com que se acumulem muitos jogadores e se crie uma fila aqui. Podemos trocar a ordem ou dificultar um pouco um dos buracos anteriores, mas também podemos criar outras diversões e campos de treino para os nossos visitantes.

A complexidade de Golftopia é realmente considerável e espero conseguir voltar ao jogo no futuro e lançar uma análise da versão final. Sempre que há uma critica de um “cliente” nasce uma erva daninha no jogo por exemplo, o que pode não ser grande problema mas à medida que o número aumenta temos que fazer algo para evitar que se alastrem aos percursos principais. O jogo tem uma série de elementos futuristas que vão desde armas laser que eliminam estas ervas a centrais de drones que se encarregam de restabelecer as bebidas e comida das máquinas e limpar os caixotes do lixo.

Não há falta de conteúdo em Golftopia e tenho muita curiosidade sobre o que virá a seguir no jogo. Neste momento podemos já passar horas e horas a melhorar circuitos e infraestruturas para que os nossos clientes melhorem as suas mensalidades. No início do jogo basta pagar para melhorar o clube, mas nas fases mais avançadas precisamos de mensalidades de vários tipos para avançar, como por exemplo de bronze, prata ou ouro e por aí fora. Apesar de ser apenas sandbox há muito por onde avançarmos e para perseguir já e são fãs de jogos “sim” irão adorar Golftopia, apenas tenham atenção às horas.

Tiago Roque

Leave A Comment