Análise: F1 2011 Vita

A Fórmula 1 é um desporto que movimenta milhões de euros e atrai fãs em todos os países do mundo. As grandes marcas de carros competem para que as suas máquinas acabem a temporada no pódio, no entanto nos últimos anos a modalidade é dominada pela Red Bull. No mundo virtual, também há um rei, de nome Codemasters, que conquistou os fãs da modalidade com a sua série F1, que ano após ano aumenta a sua qualidade.

Pelas mãos da Codemasters Birmingham a licença do campeonato do mundo este desporto, que se tinha perdido um pouco na área dos videojogos, renasceu para se tornar ainda na versão 2010 um dos melhores jogos da modalidade. F1 2011 pegou na mesma formula que garantiu o sucesso de F1 2010 e melhorou-a mantendo tudo o que este tinha de bom, conseguindo o sucesso em todas as plataformas, chegando agora à Vita mantendo grande parte destas virtudes intactas.

A versão Vita veio pelas mãos da Sumo Digital, assim como a versão 3DS, e é uma das propostas interessantes no catálogo da nova portátil da Sony.

Como já foi dito grande parte dos aspectos positivos de F1 2011 estão intactos nesta versão, nota-se o grande esforço que houve para manter esta versão no mesmo patamar de qualidade que as outras. No entanto ao querer manter muito do que foi utilizado em plataformas como PC, PS3 ou Xbox 360, as características especificas da PS Vita que poderiam diferenciar esta versão das outras foi praticamente deixada de fora e funcionalidades como o touch screen ocupam um papel elementar como o de alterar a vista durante as corridas e tarefas como utilizar o teclado virtual não podem ser feitas utilizando o ecrã e razão para tal é difícil de entender.

Em termos de conteúdo não nos podemos queixar, obviamente já estávamos à espera de uma versão mais limitada pois estamos a falar de uma portátil, no entanto estão presentes modos como o modo campeonato onde temos de escolher um dos pilotos oficiais e tentar ganhar o titulo de campeão mundial,um modo de desafios que vão crescendo em dificuldade, podem ir desde atingir um certo tempo numa certa pista até enfrentar Sebastian Vettel, um modo de Grand Prix onde podemos escolher uma das várias provas à escolha, o tradicional corrida rápida e por fim aquele que pode ser considerado o modo mais aliciante, o modo carreira onde jogaremos com um piloto criado por nós e tentaremos atingir o sucesso ao longo de várias épocas. Conforme o nosso desempenho receberemos propostas para trocar de equipa. Cada equipa tem objectivos diferentes e nem todas pensam em ganhar o campeonato, mas à medida que subimos na carreira vamos tendo objectivos cada vez mais desafiante.

 

Os modos multiplayer não foi deixado de fora, podemos jogar localmente ou online com até quatro jogadores. Os modos presentes são corridas rápidas, tem cronometrados ou um modo co-op 2 contra 2.

À medida que vamos avançando no jogo podemos desbloquear novos itens como capacetes ou novas peças que podemos usar para adaptar-mos o nosso carro ao nosso estilo de condução. A jogabilidade mantém-se também fiel no seu estilo de simulação. Assim como em outros jogos como Forza ou Grand Turismo podemos escolher várias ajudas, que podem tornar a jogabilidade bem mais acessível. Em termos gerais pode-se dizer que a versão Vita foi retocada para ser mais acessível, o que provavelmente se prende com razões de hardware, como o tamanho dos analógicos mas também pode ter sido por outra razão como o publico alvo. Apesar destas pequenas diferenças todos os que gostaram das outras versões gostarão desta, conseguindo atingir tanto um publico mais habituado ao género como aqueles que querem uma experiência mais leve.

Graficamente está bastante bem conseguido, mas poderia ter sido exigido mais da consola, faltando algum detalhe que poderia ter sido adicionado. No entanto tratando-se de um jogo de lançamento pouco mais poderia ter sido exigido e apenas elementos como condições climatéricas, a relva e as árvores ficaram abaixo do nível.

Toda a atmosfera da F1 está presente, os sons estão bem recriados, o grafismo cumpre o seu papel, a jogabilidade consegue atingir bons níveis de realismo e os elementos climatéricos alteram drasticamente a forma de jogar. Infelizmente algumas limitações nos modos de jogo em relação às versões caseiras impedem F1 2011 de sonhar mais alto. Podemos dar o exemplo de ser impossível mudar a dificuldade no modo carreira a meio. A dificuldade escolhida no inicio mantém até ao fim e a única solução é começar uma nova. Os modos online ainda estão um pouco despovoados mas quanto a isso pouco há a fazer e terão que ser os jogadores povoar os servidores. No fundo a versão Vita de F1 2011 não chega mais alto por alguma falta de ambição, os elementos que deram sucesso à série estão lá mas pedia-se que as funcionalidades únicas da consola fossem melhor aproveitadas, no entanto não é esta falha ou a falta de alguns elementos nos modos de jogo que tornaram o jogo menos divertido.

Tiago Roque

Leave A Comment