Análise: 3D Sonic The Hedgehog

Analisar jogos antigos é uma tarefa diferente. Não diria mais difícil, mas é complicado olhar para algo notálgico e ver defeitos, ou então o facto de reviver velhas memórias faz-nos ver a quantidade de falhas de alguns jogos que considerávamos perfeitos. É sem duvida diferente olhar para um jogo com mais de década e olhar para um com alguns anos. Olhar para Oblivion por exemplo atualmente deixa-me incrédulo. Um jogo que me maravilhou graficamente está bastante datado. É realmente incrível como a memória que temos de um jogo parece atualizar-se com o tempo dando-nos uma ideia de que os jogos antigos eram bem superiores ao que são. Mas alguns clássicos como Super Mario Bros ou Sonic The Hedgehog conseguem ainda aguentar-se em bastantes aspectos.

A jogabilidade é simples e bastante fluida. Talvez não tanto como se lembram e sem duvida que o segundo jogo da série Sonic é bastante superior. É um jogo que nos lembra de um tempo em que as mascotes marcavam as consolas e vivianos numa guerra entre Sonic e Mario. Mas os tempos são outros e agora até temos Sonic nas consolas da Nintendo principalmente. E é o Sonic original que chega agora à 3DS, praticamente o mesmo jogo de que nos lembramos, mas em 3D. Ao contrário da jogabilidade atual e apesar de a Sega já na altura tentar vender a ideia de velocidade, o primeiro Sonic é um jogo bastante tradicional. Sim é um pouco mais rápido do que Mario e Sonic dá mais algumas piruetas do que a personagem da Nintendo, mas no geral é um jogo bem mais lento que as suas psicadélicas sequelas. Os níveis têm um ótimo design e mostram que a Sega sabe realmente fazer jogos, ou pelo menos sabia na altura.

image_55081_thumb_wide610

Sem querer chamar definitiva a esta versão, uma vez que será um jogo que irá ver lançamentos nos próximos vinte anos sem duvida, esta é a versão que qualquer fã do ouriço azul deve ter, especialmente se possuir uma 3DS. Os gráficos estão ao seu mais alto nível e melhores só realmente com um remake completo e o 3D dá-lhe um ar diferente que ainda não tínhamos visto antes. Mas mesmo sem 3D esta é uma das versões com melhor aspecto. Mas a estrela é realmente o 3D e é por ele que este vale a pena. Mas há algumas novidades como o Spin Dash , que não estava disponível na versão original e pode ser desligado para aqueles que procuram uma experiência mais autêntica. Embora ocasionalmente útil, parece deslocada do resto do jogo.

Quando introduzido em Sonic the Hedgehog 2 tinha o design dos níveis a seu favor . Uma novidade interessante é a possibilidade de poder jogar a zona que queremos. Apesar de este ser um jogo para jogar do inicio ao fim, é agora possível ter uma experiência mais “mobile”.  O primeiro Sonic não se aguenta tão bem na actualidade como as suas sequelas. A jogabilidade é mais lenta e as plataformas mais imprecisas, mas é um bom inicio da série, diferente, mas que sofre de alguns problemas. A segunda metade do jogo não está tão bem conseguida como a primeira, os níveis são inferiores, com um design mais pobre e piores combates. Mas se são fãs do ouriço azul, esta é a melhor versão de Sonic The Hedgehog que vão encontrar actualmente e por isso vale a pena.

 

Tiago Roque

Leave A Comment