Análise Doki-Doki Universe

A Sony tem um talento nato para encontrar talento. Enquanto que os exclusivos da Microsoft parecem ser sempre comerciais, os da Sony são originais e nem sempre são bem sucedidos. Felizmente aparecem jogos como LittleBigPlanet que fazem valer a pena. Doki-Doki Universe é um destes riscos que a Sony corre. Um jogo lançado para PS3, PS4 e Vita que coloca o jogador na pele de um robô chamado QT3. QT3 foi abandonado à muitos anos e tem apenas um balão para lhe fazer companhia. É uma premissa triste sem duvida mas Jeff encontrou-o. Isso poderia ser uma boa noticia, não trabalha-se ele para a fábrica que fez QT3 e pretende recolher todos os robôs desse modelo porque não conseguem entender a humanidade. É então a nossa missão fazer com que QT3 entenda a humanidade.

Então , encontramos o nosso robô agora a viajar por vários planetas tentando aprender o que faz com que os seres humanos sejam quem são. Metade de Doki-Doki Universe é composto por esses lugares recheados de problemas que temos que resolver. As populações podem consistir de pessoas, plantas sensíveis ou robôs e é esta aleatoriedade peculiar que é uma das características mais fortes de Doki-Doki Universe. QT3 tem a capacidade de evocar os itens a partir do ar. É absolutamente necessário , como todas as quest ou interação que fazemos no jogo , quase inevitavelmente, exigem que criemos um item para alguém. Quando começamos o jogo só terá acesso a um número limitado de itens, mas à medida que progredimos vamos desbloquear mais. Estes podem , por sua vez , ser usados para resolver quests e assim, desbloquear mais itens e assim por diante. É mais ou menos semelhante a um jogo de aventura extremamente simples, onde podem levar um par de centenas de itens.

Infelizmente isto é uma mecânica que se torna aborrecida passado bastante pouco tempo. Primeiro encontramos a personagem, falamos com eles, criamos itens , tocamos duas vezes no itens que queremos. Nada disto é divertido nem mesmo para crianças. Mesmo a criação e selecção de itens é mais aborrecido do que precisa de ser. As preocupações materiais de praticamente todos que encontrar nunca é comentado por qualquer um dos personagens , e é mais provável que seja um resultado da escrita preguiçoso do que um comentário de base sobre a situação da humanidade. Cada um dos planetas segue um motivo específico. No planeta Africano, por exemplo , um homem fica com ciúmes da família de seu vizinho , então ele pede uma filha. Não há qualquer boa mensagem aqui e parece que no fundo apenas temos que cumprir objectivos aleatórios.

Além dos planetas existem ainda os asteróides. Cada um dos quais apresenta um monge e um quiz da personalidade.As perguntas são divertidamente aleatórias , mas tal como o resto do jogo rapidamente se torna aborrecido. Além disso Doki-Doki Universe não corre da melhor forma em todas as plataformas, sendo a mais problemática a Vita que cai demasiadas vezes para o menu principal. Graficamente o jogo tem o mesmo aspecto em todas as plataformas, portanto podem prever que não seja nenhuma maravilha tecnológica. Imita um estilo desenhado à mão por um miúdo de 8 anos e parece ser esse o publico alvo.

ps4-game-6937-lower-marq

Isto é Doki-Doki Universe. É um jogo que poderia funcionar no papel, mas que não é um conceito forte para um videojogo depois de implementado. É demasiado aborrecido e mesmo os jogadores de aventura point and click vão ficar fartos. Não há uma grande história e o facto de podermos levar todos os itens para todo o lado torna o jogo um deserto de puzzles. Deve existir um publico para Doki-Doki Universe, mas infelizmente não sou eu.

4.5/10

Tiago Roque

Comment (1)
André Rocha
January 3, 2014

Concordo completamente com a análise. Eliminei a demo da Vita ao fim de 5 minutos pois o jogo é muito parado, aborrecido e parece não ter qualquer substância.

Reply

Leave A Comment