Análise Wonderbook: Livro de Poções

O acessório Wonderbook da Sony é um dos periféricos mais interessantes que surgiu na geração passada, criando um segmento único na industria. Apesar de alguns elementos de um videojogo, estas são experiências interactivas que se assemelham mais a um livro do que a um jogo, mas são um produto fantástico para os fãs dos materiais originais. Depois de 7 livros e 8 filmes, os fãs ainda pediam mais e viram com bons olhos o Livro de Feitiços, o primeiro título do Wonderbook.

Livro de Poções segue o mesmo conceito do jogo anterior, com a diferença de, tal como o nome indica, se forçar em poções em vez de feitiços. Livro de Poções introduz algumas novas personagens ao universo de Harry Potter como o mestre de poções Zygmunt Budge. O jogo em si segue a mesma linha do Livro de Feitiços. Temos que seguir as instruções para criar poções, algumas delas bastante conhecidas dos filmes e livros. Os ingredientes são também conhecidos, pelos de unicórnio ou asas de fada são utilizados em mini-jogos.

Não há muito por onde inovar em termos de jogabilidade. O Wonderbook é um bom conceito mas no fundo é um livro e portanto sempre a jogabilidade envolve o livro em si apenas temos que trocar de página ou rodar o livro. O resto é feito com o Move, o parceiro ideal do Wonderbook. Normalmente temos que rodar o livro para descobrir um segredo ou ingrediente que está escondido numa zona oculta do diorama.

A história é escrita pela própria J.K. Rowling, contando assim para o canon oficial. Graficamente é semelhante ao anterior, mas relembrando, este é um excelente exemplo de um jogo de realidade aumentada. A forma como o livro é reconhecido no ecrã e um verdadeiro mundo é criado no seu redor e objectos como uma varinha substituem de forma quase perfeita o comando Move é algo que irá maravilhar os mais novos, o verdadeiro publico alvo do jogo.

WonderbookBookOfPotionsSS_001

À medida que vamos avançando no jogo iremos desbloqueando novos ingredientes e mini-jogos. Estes mini-jogos podem ser repetidos sempre que quisermos, enquanto que os ingredientes que desbloqueamos podem ser utilizados num modo diferente, que nos dá a liberdade de criar as nossas próprias poções. É um modo interessante e com alguns resultados engraçados, especialmente para os fãs. É sempre engraçado ver o que acontece à nossa rã de teste, com o resultado final a ficar anotado para referencia futura.

Harry Potter marcou a infância de muitos jogadores e dependendo da idade desses jogadores há muito para gostar aqui. Este é sem duvida uma proposta para os mais novos e os mais velhos irão fartar-se um pouco mais rápido. Mas o mais importante para gostar de Livro de Poções é ser fã de Harry. E se já comparam o Livro de Feitiços não podem realmente deixar este de fora. Que raio de feiticeiro seriam se se ficassem pelos feitiços e esquecessem as poções?

8/10

Tiago Roque

Leave A Comment