Análise: Hostile Waters: Antaeus Rising

Hostile Waters: Antaeus Rising foi um bom jogo quando foi lançado, mas não foi inovador. Não faz nada de realmente e apesar de ser uma experiência solida, durante uma década foram lançados muitos jogos do género. No entanto há algo em Hostile Waters: Antaeus Rising que sobrevive no tempo, a sua fenomenal história. Depois de uma grande guerra apareceu uma nova tecnologia que permite trazer navios naufragados e ligar esses mesmos com chips que contem a mente de soldados mortos. Esta tecnologia alem de dar vontade própria aos veículos, numa espécie de Cars militar, permite também que estes veículos possam ser reconstruidos em segundos.

A história pode parecer simples mas dada a sua qualidade não vou entrar em pormenores. Se conseguirem ultrapassar o grafismo datado, Hostile Waters: Antaeus Rising vale a pena nem que seja apenas pelo história. Em resumo podemos dizer que a humanidade uniu-se para criar uma paz mundial e conseguiu, mas os vilões do mundo não desapareceram realmente e quando voltaram já a humanidade se tinha esquecido do que era a guerra e teve que reaprender.

É simples, mas é bem escrita e interessante. Antes de se entrar numa missão podemos construir uma estratégia e os objectivos são mostrados no mapa. A interface e atalhos são intuitivos, podemos trocar entre veículos com os números e há medida que vamos jogando vamos sendo mais rápidos e eficazes a comandar as nossas unidades. Tudo ou quase tudo o que temos com que nos preocupar tem uma representação na interface, desde unidades a recursos. Graficamente Hostile Waters: Antaeus Rising não era revolucionário quando foi lançado, portanto não estejam à espera de que seja uma maravilha actualmente, mas é minimamente detalhado. Os cenários e veículos são fáceis de distinguir e existem ainda efeitos meteorológicos.

Hostile-Waters-Antaeus-Rising-Patch_1

Alguns aspectos do jogo desafiam as regras da física, a lua desaparece no mesmo sitio em que o sol aparece por exemplo. O melhor aspecto de Hostile Waters: Antaeus Rising vem da possibilidade de controlar directamente algumas unidades. Isto era inovador na altura mas actualmente nem por isso. Quem gosta de jogos de estratégia ira gostar de Hostile Waters: Antaeus Rising.

 

Tiago Roque

Leave A Comment