Análise: Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los

Há alguns anos J.K. Rowling escreveu três livros que acompanharam a série principal. Todos eles eram livros que os alunos de Hogwards supostamente estudavam. Um desses livros foi Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los, que além de servir como enciclopédia para as criaturas que apareciam nos livros introduzia algumas novas e contava um pouco da vida de Newt Scamander.

Depois de ter dito que a história de Harry Potter acabou, J.K. Rowling mantém a palavra e lança uma peça de teatro que segue a vida do filho de Harry e uma nova saga de cinco filmes que conta a história daquilo que aconteceu antes, do ponto de vista de Newt Scamander numa altura em que o inimigo numero 1 não era Voldemort, mas sim Grindelwald, uma personagem que talvez signifique bem mais para quem leu os livros do que quem apenas viu os filmes e ainda mais para quem leu alguma da história que a escritora foi lançando aos poucos. A importancia de Grindelwald em Dumbledore por exemplo é tremenda e os fãs não vão certamente ficar indiferentes a esta nova saga.

Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los é sem duvida diferente em tom dos restantes filmes e até dos livros. Enquanto fã adorava o ambiente e corredores de Hogwarts, mas a verdade é que esse ambiente já foi capturado e bem e esta nova saga irá explorar outros ambientes e locais de um mundo recheado de possibilidades que no fim de contas se fechou apenas numa escola durante 95% do tempo. Voltar atrás foi um passo inteligente pois é uma das melhores formas de utilizar personagens referenciadas antes mas nunca vistas.

Newt Scamander, interpretado por Eddie Redmayne, talvez mais conhecido pelo papel de Stephen Hawkin que lhe valeu um Oscar, apesar de talentoso, acaba por ocupar um lugar de espectador durante grande parte do filme, graças uma grande performance de Dan Fogler que interpreta o cómico Jacob Kowalski, um Muggle com o sonho de abrir uma pastelaria e que é arrastado para esta aventura, mas também graças às próprias criaturas. Dan Fogler arrasta sorrisos apenas com a sua expressão facial, numa espécie de Charlie Chaplin e foi uma agradável surpresa.

Outra dupla de grande qualidade no ecrã é a de Colin Farrell  e Ezra Miller que têm ambos as melhores cenas do filme, sendo o primeiro meio responsável pela surpresa no final do filme e que irá marcar pelo menos o próximo filme.O restante elenco é também ele recheado de talento, sendo necessário referir a boa interpretação de Katherine Waterston.

Scamander não tem o charme que varias personagens anteriores tinham. O seu amor pelas criaturas mágicas só tinha um paralelo com os livros e filmes anteriores, o grande Hagrid. Conhecer a magia noutros locais do mundo é talvez a maior revelação do filme. Nova York acabada de receber os soldados da segunda guerra acaba por ser um ambiente perfeito para uma primeira mudança de ares.

Apesar de este ser o primeiro de uma longa nova série de filmes, a historia funciona bastante bem sozinha. Nota-se que é o inicio de algo maior. Há referencias a Grindelwald no inicio e no fim mas toda a historia do filme envolve um grupo de Muggle, chamados No-Mag nos EUA aparentemente, que tenta convencer o resto do país que as bruxas existem e que têm que ser erradicadas. Mas a maior parte filme resume-se a Newt a procurar as criaturas que trouxe na sua mala e da qual algumas fugiram. A surpresa no final é realmente inesperada e se conseguirem manter-se imunes a spoilers vai ser um momento deveras surpreendente.

 

Tiago Roque

Leave A Comment