Análise: AUTO AGE: Standoff

AUTO AGE: Standoff é um jogo de ação motorizada que traz consigo doses grandes de nostalgia. Desde o primeiro ecrã que conseguimos ver o trabalho feito no design de AUTO AGE: Standoff, numa corrente nostalgia dos anos 80 que tem sobrecarregado videojogos, televisão e cinema. O design do jogo é soberbo, mesmo que a qualidade gráfica nem sempre acompanhe a qualidade do design e da direção artística. Este é aliás o melhor aspecto do jogo, não existindo nenhum outro aspecto do jogo que acompanhe a qualidade mostrada aqui, quase como se fossem duas equipas distintas a trabalhar na área técnica e visual. É normal que os responsáveis por cada área sejam pessoas diferentes, mas neste caso os envolvidos pareciam estar a trabalhar em dois jogos diferentes e isso nota-se principalmente na rigidez dos controlos típicos de um jogo mais realista e o grafismo cartoon do jogo que pedia algo completamente diferente.

Não existe nenhum modo história ou semelhante em AUTO AGE: Standoff, apesar de existirem algumas formas de jogar a solo. No entanto o principal foco é online, no entanto a quantidade de jogadores online é demasiado reduzida. Infelizmente este tipo de jogos demasiado focados em modos online mas sem a capacidade para atrair jogadores acabam por receber sempre o mesmo comentário da minha parte. Este tipo de jogos precisam de jogadores para serem relevantes mas os criadores sabendo que dificilmente os vão conseguir deveriam apostar em oferecer uma boa campanha ou desafios para que os jogadores recebam algo que justifique o investimento quando não há com quem jogar.

Quando o deserto de jogadores não é um problema AUTO AGE: Standoff é um jogo razoável. Como já referi nenhum aspecto do jogo consegue ter a mesma qualidade da componente design. No que toca ao jogo em si o que temos é algo bastante simples. A jogabilidade não é de todo interessante, sendo demasiado rígida para este jogo, não podendo o jogador por exemplo controlar o veículo no ar, algo que pode ser altamente realista mas que está muito longe de se adaptar a este jogo. É neste aspecto que mais se nota a discrepância entre os vários intervenientes do desenvolvimento. O grafismo em si na componente mais técnica é também relativamente fraco, com texturas que apenas não parecem piores por causa da arte e estilo cell shading.

No que toca a conteúdo por outro lado AUTO AGE: Standoff acaba por estar bem servido. Existem vários veículos e mapas e o equilíbrio de todo os elementos está bem conseguido, apesar de quando jogado contra bots ficar a ideia que estes nos conseguem infligir bastante mais dano que nós conseguimos a eles. Apesar da quantidade ser boa, a variedade é outra história. A verdade é que AUTO AGE: Standoff é o mesmo jogo vezes e vezes e vezes sem conta. Não há nada de realmente diferente nos vários mapas ou nada que nos dê razões para experimentar este ou aquele veículo.

O resultado no geral fica-se entre o mediano e o fraco. Por muito que queira gostar de AUTO AGE: Standoff a realidade é que a maioria do jogo é pobre e mesmo aqueles que gostarem do jogo irão fartar-se rapidamente dada a falta de variedade. O conteúdo existe mas não traz nada de relevante consigo, sendo um daqueles exemplos de que nem sempre mais é melhor.

Tiago Roque

Leave A Comment