Análise: Immortal Redneck

O conceito de Immortal Redneck tem tudo para não funcionar. Felizmente e tal como muitos jogos que no papel fazem zero sentido, o resultado final é bem mais do que a soma das suas ideias e realmente surpreendente. Um americano que não poderia mais esteriotipado do redneck comum, bate e morre com o seu todo o terreno nas areias do antigo Egito e é ressuscitado por um misterioso grupo de egípcios, o que o consegue trazer de volta mas em forma de mumia. Enquanto a história é quase inexistente além da primeira cutscene, o resto do jogo é de uma brilhante e gloriosa simplicidade que bebe do melhor que os vários géneros que o inspiraram têm para oferecer.

Immortal Redneck é um FPS com elementos RPG e Rogue-Lite que inclui mais de cinquenta armas diferentes, nove classes jogáveis ​​e uma árvore de habilidades completa, no entanto é também um jogo frustrantemente difícil com o jogador a ter de  limpar vários níveis nas pirâmides antes de encontrar o boss e a morte em qualquer ponto intermédio obriga a recomeçar tudo de novo. A pirâmide é como um labirinto com muitas salas para se explorar antes de chegar ao próximo nível. Em cada sala há uma série de inimigos únicos que devem ser derrotados antes que se possa avançar, algo que irá soar a algo familiar a fãs do género roguelike.  As zonas são gerados aleatóriamente cada vez que se entra na pirâmide mas apenas na ordem em que aparecem uma vez que as áreas em si não mudam. Ao serem mortos, os inimigos deixam cair coisas como ouro, carne para reabastecer a saúde e pergaminhos que podem ser empilhados.

Apesar de tudo, morrer não é um problema enorme porque o jogador mantém todo o ouro que acumulou e usa-o para comprar upgrades que podem ajudar nos ataques, saúde e quantidade de munições. É também assim que se desbloqueia e atualiza as outras classes que são deuses com diferentes armas e habilidades. Depois de desbloquear as outras classes, o jogador é solicitado a escolher qual delas deseja jogar antes de entrar novamente na pirâmide. Mais tarde podemos também comprar um comerciante que vende vantagens, como entrar em uma pirâmide com um pergaminho e outros itens úteis que são desbloqueados.

Os upgrades mais evoluídos e personagens são muito caros e o jogo não nos deixa manter ouro, apenas gastar, sendo muito complicado adquirir itens no parte posterior do jogo. Existem três pirâmides, cada uma com sua própria personalidade, estilo e inimigos e o jogador deve limpar completamente uma pirâmide antes de poder ir para outra. Três pirâmides pode não parecer muito mas cada um contém várias salas e o objectivo não é normalmente acabar o mais rápido possível porque precisamos de ouro para os upgrades.

O grafismo e animações são bastante cartoon, o que acaba por ficar bastante bem no tema louco do jogo e torna o jogo também muito colorido e cada área tem um grande detalhe. Os inimigos são de forças variadas e incluem bastantes variedades. Eles atacam o jogador por todos os meios de estilos de combate o que nos obriga a usar armas diferentes para eliminá-los. Immortal Redneck não é perfeito, e às vezes ter que começar tudo do início da pirâmide e sacrificar todo o ouro para ser permitido a reentrada é frustrante, mas compensa com um encantador bem-humorado e boa jogabilidade.

Tiago Roque

Leave A Comment