Análise: Laser League

Os jogos multijogador  são altamente populares e muitos avançam até que os jogos apenas singleplayer estão mortos e embora não concorde com essa afirmação não posso negar que quando um jogo online tem sucesso a empresa que está encarregue do seu desenvolvimento não precisa de trabalhar em mais nada durante algum tempo. Nem todos se podem gabar de ter servidores cheios e muitos jogos apenas online acabam por ser desertos que dificilmente irão chegar a ter lucro, apesar de muitos dos que acabam nesse triste cemitério serem até jogos bastante competentes, no entanto Laser League é um jogo com jogadores suficientes para chegar ao patamar de jogos como Rocket League.

Laser League é jogo que aponta sem duvida para o fenómeno eSports, sendo um desporto competitivo futurista onde os jogadores escolhem uma classe, entram numa arena e manipulam muros a laser para derrubar uma equipa adversária. Jogado numa perspectiva top down, os jogadores entram em uma variedade de arenas futuristas nas quais os nós aparecem durante uma partida e precisam ser tocados pelos jogadores para controlá-los. Quando capturados, esses nós emitem um feixe de laser que muda para a cor da sua equipa, tornando a parede do laser hostil à equipe inimiga. É uma ideia simples que é muito inspirada em Tron mas que funciona de forma brilhante aqui juntamente com a boa jogabilidade que os criadores desenvolveram É simples de entender, mas como todos os bons jogos é difícil de dominar por causa das estratégias e truques que podem ser usados. O tutorial do jogo é bastante sólido mas apenas com muitas horas de jogo conseguimos ter a destreza para sermos relativamente bons.

O jogo fica ainda mais interessante quando começamos a perceber as classes. Existem seis classes diferentes, Smash que pode derrubar jogadores inimigos, Thief que pode roubar nós, Shock que atordoa jogadores por um tempo, Ghost pode-se tornar invulnerável, Snipe pode se teletransportar através de uma trilha marcada e Blade que pode cortar um oponente. Como todos os bons jogos multiplayer, descobrir uma boa combinação para formar uma equipe sólida e descobrir quais classes que se anulam uma à outra é a chave do sucesso.

Cada uma das classes só pode usar sua habilidade especial quando esta está carregada e todos podem ver quando uma habilidade pode ser ativada, o que permite que antever e contrariar o adversário. Além disso existem modificadores que também podem ser equipados, que mudam o funcionamento de uma habilidade. Os controles são tão simples, que só temos realmente de usar o movimento e um botão para ativar a habilidade, no entanto o jogo é muito mais fácil de dominar utilizando um comando.

As arenas apesar de serem todas  rectangulares ekas diferem nos tipos de nós de laser que irão gerar, o que muda o layout dentro das próprias arenas. Reconhecer os padrões e estar com atenção a tudo o que acontece na arena é o mais importante pois tudo o resto acaba por vir como reflexo e a jogabilidade como já disse é muito simples.

Laser League é um excelente exemplo de um jogo simples de começar e dificil de dominar e que é altamente viciante. Jogos como Rocket League são diversão pura tanto para casuais como para jogadores competitivos e adorava ver Laser League a chegar a esse patamar.

 

Tiago Roque

Leave A Comment