Análise: Ninjin: Clash of Carrots

Ninjin: Clash of Carrots é um beat’n’up de animação do desenvolvedor Pocket Trap. O jogo tem momentos de diversão mas é também assombrado por mecânicas frustrantes e uma quantidade surpreendente de dificuldade excessiva e flutuante.Um playthrough de Ninjin consiste em mundos e níveis. Os níveis coloridos vão da esquerda para a direita no estilo visual de um infinite runner, com o fundo em constante movimento. Inimigos atacam em ondas que devem ser completadas e novos vilões aparecem constantemente, exigindo diferentes táticas de abordagem. No final de cada mundo existe um boss. O diálogo entre os níveis ou após as lutas é leve, o enredo e as personagens ridículas.

As ferramentas de Ninjin são espadas e itens descartáveis. Há uma quantidade enorme de cada um que pode ser descartada em caixas de itens encontrados em níveis ou comprados de volta na loja com cenouras. Todos os itens têm aspecto próprio, dano diferente, chance de acerto crítico e atributos únicos. Há também ataques especiais selecionáveis, encantos que fornecem impulsos passivos à personagem e itens puramente cosméticos. Tudo somado, há uma quantidade enorme de personalização.

O design de nível é imprevisível, com os mais rápidos e repletos de ação a serem divertidos e é gratificante juntar grandes combos mas quando o jogo se aventura em novas mecânicas a experiência fica irregular. Em alguns casos, a dificuldade aumenta quase absurdamente. Os criadores tentaram tornar algumas seções mais interessantes, mas no processo, involuntariamente, tornaram as partes do jogo realmente difíceis e um sacrifício que precisamos de ultrapassar.

Não há nada errado num jogo desafiador, mas morrer por causa mecânicas frustrantes parece injusto. Os segmentos difíceis aumentam à medida que o jogo continua, culminando num final ridículo de três fases que apenas mantém os jogadores interessados porque estamos mesmo no fim. Algumas das personalizações também se tornam irrelevantes porque certos itens precisam estar equipados para ter qualquer tipo de sucesso contra os bosses. Apesar de o jogo começar por ser uma experiência bastante agradável a sensação no fim é de real frustração com o jogo, não ficando qualquer tipo de boa memória.

Ninjin: Clash of Carrots começa como um beat’em’up olorido mas em pouco tempo se torna frustrante e desafiador. Existe um enorme arsenal de armas e benefícios para enfrentar inimigos em modo cooperativo mas a frustração é constante nem com a ajuda de um amigo o jogo consegue ultrapassar isso. Pessoalmente recomendaria não pegar no jogo até porque assim que nos aventuramos demasiado e o queremos terminar ele retribui com facadas nas costas.

Tiago Roque

Leave A Comment